Demanda por motos 0 km dispara e fila de espera chega a 60 dias no Ceará

Demanda por motos 0 km dispara e fila de espera chega a 60 dias no Ceará


O medo das aglomerações no transporte público e o fortalecimento do delivery como alternativa de sobrevivência para os cearenses e brasileiros que ficaram sem trabalho durante a pandemia levaram a busca por 
motocicletasnovas a um crescimento de 35% no Ceará. A informação é de Wellington Holanda, diretor do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Estado do Ceará/Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Sincodiv/Fenabrave).

A elevada demanda poderia estar impulsionando o faturamento das concessionárias de motos no Estado, não fosse a baixa oferta ocasionada pelas consecutivas paralisações na produção de veículos em Manaus, no Amazonas. De acordo com os números mais recentes da Fenabrave, no Ceará, foram emplacadas 7,5 mil motos no primeiro bimestre deste ano, queda de 22,3% na comparação com igual período de 2020, quando foram registrados 9,7 mil emplacamentos.

A alta demanda e a diminuta oferta provocaram uma baixa generalizada nos estoques de motos novas, mas algumas tipologias no Estado enfrentam uma escassez mais intensa. É o caso das motocicletas na faixa de R$ 16 mil.

“A Honda Bros 160 é a mais procurada”, detalha. Os compradores que decidem não abrir mão das motocicletas novas estão esperando até 60 dias para levar o produto para casa. “De 45 a 60 dias. O consorciado tem prioridade”, pontua.

Diário do Nordeste