Empresa de limpeza pública de Santa Quitéria nega falta de materiais de trabalho para funcionários

Empresa de limpeza pública de Santa Quitéria nega falta de materiais de trabalho para funcionários


Funcionários da Construtora Lazio, empresa responsável pela limpeza pública no município de Santa Quitéria, procuraram na semana passada o A Voz de Santa Quitéria, com queixas acerca da falta de materiais para trabalho, bem como para higienização.

O denunciante, que teve a sua imagem preservada temendo represálias, afirmou não serem disponibilizados equipamentos de proteção, como luvas e máscaras e em caso de suspeitos para Covid-19, não haviam sido testados e sem álcool em gel onde trabalham.

Segundo informações obtidas pela reportagem, atualmente seriam cerca de 60 garis, englobando a sede e os que trabalham na zona rural e que também já teriam solicitado uma reunião com o prefeito Braguinha, para falar sobre a referida situação.

Diante da cobrança, a repórter Viviany Morais esteve hoje (16) no local e conversou com o encarregado da Lazio, Luís André. O mesmo afirmou desconhecer o funcionário com um nome que fora divulgado nas redes sociais, todavia a pessoa que compartilhou o conteúdo já teria sido identificada e que a empresa resolveria sobre tal.

À repórter, André apresentou um estoque de máscaras, luvas, botas e álcool em gel, que estão à disposição dos trabalhadores e que sempre pegam quando necessário, havendo um controle que é registrado. Sobre trabalharem com suspeita de Covid-19, o encarregado afirmou que acatou duas pessoas com atestado médico e que a orientação é, em caso de qualquer sinal da doença, já ficarem 14 dias afastados e ressaltando que a construtora presta todo o suporte necessário, inclusive junto ao Centro Covid, para a realização de testagens.