Governo vai antecipar vacinação de profissionais de segurança que atuam na linha de frente da Covid

Governo vai antecipar vacinação de profissionais de segurança que atuam na linha de frente da Covid


Em um momento em que alguns estados já alteram a ordem do plano de vacinação contra a Covid-19, o Ministério da Saúde informou nesta terça-feira (30) que irá antecipar a imunização de profissionais das forças de segurança e salvamento e de membros das Forças Armadas que atuem com equipes de saúde.

Segundo Francieli Fontana, coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), a antecipação ocorrerá com base em critérios específicos. "Fomos bastante demandados sobre isso e fomos buscar as atividades executadas. Muitos estão atuando no transporte de pacientes e na vacinação. Entendemos que alguns desses grupos devem ser atendidos já na próxima pauta tendo em vista essa atuação", disse a coordenadora.

A mudança foi aprovada em reunião com secretários estaduais e municipais de saúde. No Ceará, o governador Camilo Santana realizou reunião, nesta terça, com os secretários da Segurança e da Saúde para discutir a inclusão dos profissionais de Segurança do Estado no grupo prioritário. No Pará, esses profissionais já estão sendo imunizados.

De acordo com Francieli Fontana, a ideia é que os profissionais sejam divididos em dois grupos, em que o primeiro seria alvo da antecipação e o segundo, seguiria a ordem já prevista no plano de vacinação.

No primeiro grupo, alvo da antecipação, entram aqueles que atuam:
  • no atendimento ou transporte de pacientes contra a Covid;
  • no resgate e atendimento pré-hospitalar;
  • nas ações de vacinação;
  • na vigilância de medidas de distanciamento, "principalmente na vigilância das unidades básicas de saúde e outras unidades"

A previsão é que o primeiro grupo comece a ser vacinado já na próxima quinta (1º), quando devem ser enviadas 9,1 milhão de doses aos estados. Ao todo, o grupo das forças de segurança e salvamento é estimado em 584.256 pessoas. Já o das Forças Armadas, em 364.036. Fazem parte desse conjunto policiais federais, militares, civis e rodoviários, além de bombeiros militares e civis e guardas municipais.

Atualmente, a ordem dos grupos de vacinação prevê a imunização de profissionais de segurança e militares após a imunização de idosos (etapa atual), pessoas com comorbidades, população com deficiência, população prisional e trabalhadores de educação.

Diário Press