Mesmo com consumo quadruplicado no hospital, Santa Quitéria assegura estoque de oxigênio

Mesmo com consumo quadruplicado no hospital, Santa Quitéria assegura estoque de oxigênio


A semana iniciou com mais uma preocupação para as cidades cearenses: a iminência de uma possível falta de oxigênio para os seus hospitais. Empresas fornecedoras para as redes pública e privada do estado afirmam que tem estoque do insumo garantido, mas alertou para o crescente consumo e a falta de preparação adequada por parte de empresas menores.

Diante deste quadro, ontem (08), a Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), prefeitos, empresas fornecedoras, fabricantes de oxigênio, Procuradoria-Geral de Justiça do Estado e a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) se reuniram com o objetivo de mapear a situação das prefeituras e tratar do risco ao abastecimento de oxigênio hospitalar.

Em Santa Quitéria, o aumento no consumo foi expressivo. De acordo com o secretário de Saúde, Adeilton Mendonça, atualmente "estão sendo gastas de 15 a 20 balas de oxigênio dos grandes". O volume é quatro vezes maior do que o consumido no início do ano.

Apesar disso, o gestor garante que não há falta de oxigênio. "O Município está abastecido. Todos os dias solicitamos e os cilindros são repostos", afirmou.