Nove açudes atingem capacidade máxima no Ceará; quatro deles sangraram em quatro dias

Nove açudes atingem capacidade máxima no Ceará; quatro deles sangraram em quatro dias


Quatro açudes cearenses sangraram em quatro dias, desde a última quinta-feira, 25, de acordo com dados do Portal Hidrológico do Ceará. Os novos reservatórios a atingir a capacidade máxima são: Quandú (Itapipoca), Tucunduba (Senador Sá), Jatobá (Milhã) e Acaraú Mirim (Massapê). No total, nove reservatórios estão sangrando no Estado e outros cinco estão com volume acima de 90%.

O aumento no volume dos açudes é consequência das fortes chuvas que têm acontecido no Estado nos últimos dias. Entre os dias 22 e 26 de março, o Ceará registrou marcas diárias de chuva em mais de 100 municípios. No intervalo das 7 horas da última quinta-feira, 25, e o mesmo horário do dia seguinte, foram registradas precipitações em 169 dos 174 municípios informados à Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Observa-se ainda o crescimento do volume do Castanhão, maior reservatório de água do Estado: em uma semana, o nível da água subiu 50 centímetros. Na noite desta segunda-feira, 29, o reservatório registrava 11,3% de sua capacidade total e no primeiro dia de março a marca era de 10,1% — a diferença equivale a cerca de 81 milhões de metros cúbicos.

Apesar de parecer uma diferença expressiva, o secretário dos Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, esclareceu na última semana que o aumento no volume do açude deve-se a fatos pontuais. “Ainda estamos muito longe do aporte que o açude recebeu em 2020 (por volta de 800 milhões de metros cúbicos)", disse o secretário em entrevista ao O POVO no dia 22 deste mês.

Além do Castanhão, outros 53 açudes registram volume abaixo de 30% da capacidade total. A lista inclui alguns dos principais reservatórios, como o de Orós (22,2%), localizado no Alto Jaguaribe, e de Banabuiú (8,3%), fundamental para abastecimento do Sertão Central, historicamente uma das regiões mais secas do Estado.

Povo