Novo ministro da Saúde diz que 'sozinho' não resolve problemas e que é preciso 'união'

Novo ministro da Saúde diz que 'sozinho' não resolve problemas e que é preciso 'união'


O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta terça-feira (16) que é preciso "união da nação" para enfrentar o que ele classificou como "nova onda" da pandemia de Covid-19. Sem responder a perguntas de jornalistas, o novo ministro fez um pronunciamento ao lado do general do Exército Eduardo Pazuello.

Em suas falas, o médico cardiologista defendeu o Sistema Único de Saúde (SUS) e citou a importância das "evidências científicas" em futuras ações da pasta, mas sinalizou que fará uma gestão de continuidade.

Em discurso afinado com as preocupações do presidente Jair Bolsonaro, Queiroga se mostrou preocupado com o impacto do novo coronavírus na economia. "É preciso unir esforços do enfrentamento da pandemia com a preservação da atividade econômica", disse o novo ministro.

Por sua vez, Pazuello destacou que a chegada de Queiroga não trará mudanças na política do Ministério da Saúde. "Não é uma transição, é um só governo", disse o general.

G1