Polícia investiga vídeos em que um homem estimularia crianças a ‘adoração satânica’

Polícia investiga vídeos em que um homem estimularia crianças a ‘adoração satânica’


A Polícia Civil do Distrito Federal abriu uma investigação sobre um conjunto de vídeos que estão circulando nas redes sociais. Aparentemente, o material mostra um rapaz usando um filtro digital e roupas para parecer com a personagem Elsa, da animação infantil Frozen. Mas é o conteúdo que vem preocupando os pais.

Em um dos vídeos que estão no centro da polêmica, o influencer, que sempre começa com o bordão “oi crianças”, diz que vai ensinar o público a fazer “uma arte muito bonita na casa de vocês”. Logo depois, ele diz para pegar uma caneta e um molho de tomate e desenhar alguns pentagramas nas paredes. Se fossem perguntadas do porquê fizeram esse desenho, ele diz para as “crianças” responderem: “pela glória de Satã, é claro”.

O caso está sendo acompanhado pela Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC), que afirmou, para o portal Metrópoles, que o ocorrido beira a prática criminosa. Porém, as investigações ainda estão em andamento. Segundo o órgão, o caso da “Elsa” é diferente de outros vídeos polêmicos que induziam práticas como o suicídio e a automutilação.

Após a repercussão negativa, o influencer apagou os vídeos das redes sociais e afirmou que o material não era voltado para o público infantil. “Eu faço conteúdo para público adulto, e além disso existe uma regra de adesão com idade mínima de 14 anos para criar uma conta em qualquer rede social. Celular e tablet não são babás, os pais têm o dever de supervisionar o que seus filhos acessam e não estender essa responsabilidade aos outros. E francamente, tem que ser muito tonto pra achar que um marmanjo barbado vestido de princesa falando de capeta seja sério, chega a ser surreal”, escreveu o youtuber em um post no Instagram.

GCMais