População diverge sobre lockdown prorrogado em Santa Quitéria e cobra mais rigor na fiscalização das medidas

População diverge sobre lockdown prorrogado em Santa Quitéria e cobra mais rigor na fiscalização das medidas


Prorrogado por mais cinco dias a partir de hoje (04), a eficácia do lockdown no município de Santa Quitéria diverge opiniões entre a população. Ontem, A Voz de Santa Quitéria realizou um levantamento nas ruas com algumas pessoas, afim de medir opiniões sobre a permanência do lockdown como medida mais austera. Entre os entrevistados, 50% são a favor da continuidade e 50% contra a prorrogação.

Contra o decreto, ainda é possível observar uma grande preocupação com a economia. Aqueles que são contra, alegam que muitas pessoas precisam trabalhar e o lockdown aumenta o desemprego na cidade. “Eu acho que não precisa disso não, cada um usando a sua consciência dá certo”, afirmou uma moradora.

“As coisas não mudam. Não melhoram. As pessoas fazem o que querem, com ou sem Lockdown. Tem a questão da necessidade. É fácil algumas pessoas que tem seu salário garantido mandar as pessoas ficarem em casa, enquanto muitos outros passam necessidade”, afirmou uma quiteriense residente na zona rural.

Mas nem todos são contra as novas medidas. Com uma divisão de opinião muito clara, os outros 50% dos entrevistados são a favor do lockdown. “A favor com certeza, a medida está ajudando a conter a disseminação no município”, pontuou um comerciante. 

Outro ponto que chamou atenção durante a pesquisa, foram as críticas em relação a fiscalização ao descumprimento, por parte de muitas pessoas, quanto à circulação sem necessidade pelas ruas da cidade, o que foi reconhecido pelo prefeito como uma das deficiências. Mais de uma pessoa relatou que para conter a doença no município, é necessário que as medidas sejam realizadas de forma correta. 

“Sou a favor do lockdown, tanto que, o que eu cobro muito da prefeitura é a presença de fiscais. As pessoas estão no meio da rua sem fazer nada. Falta disciplina nessa fiscalização que hoje ocorre em Santa Quitéria. Os comércios da porta para dentro, estão super organizados, da porta para fora, se organizam como podem. Porém, o meio da rua está cheio de gente, inclusive, existem denúncias de pessoas saindo com covid para o centro da cidade, isso é crime. O lockdown deve ser feito de maneira correta. O que adianta ser fiscalizado os comércios, mandar fechar, se você não chega em um cidadão no meio da rua que está aglomerando? O que muda? Só os comerciantes que pagam? O lockdown é só pro comercio?”, desabafou outro empreendedor.