Vacina de Oxford tem 79% de eficácia, apontam testes nos EUA, Chile e Peru

Vacina de Oxford tem 79% de eficácia, apontam testes nos EUA, Chile e Peru


A vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford tem 79% de eficácia na prevenção de casos sintomáticos da doença. O resultado foi registrado nos resultados dos testes de fase 3 do imunizante, realizados com 32.449 pessoas nos Estados Unidos, no Chile e no Peru. Os dados foram divulgados nesta 2ª feira (22).

A vacina ainda se mostrou segura e teve 100% de eficácia contra casos graves e contra os que necessitam de hospitalização. A eficácia foi de 80% em idosos com mais de 85 anos. Cerca de 20% dos voluntários tinham 65 anos ou mais. Aproximadamente 60% tinham comorbidades, como diabetes ou doenças cardíacas.

Na última 6ª feira (19), a EMA (Agência Europeia de Medicamentos) liberou o uso da vacina da Oxford/AstraZeneca depois de ao menos 13 países terem suspendido o uso do imunizante por conta de relatos de coágulos sanguíneos em pessoas que receberam a vacina. “Essa é uma vacina segura e eficaz”, garantiu o órgão.

Apesar de confirmar a segurança da vacina, a agência pontuou que ainda não foi possível identificar a existência de uma relação entre o imunizante e os casos de trombose. A solução encontrada pela EMA para não interromper a vacinação foi estabelecer um alerta de risco às pessoas que forem receber a vacina. No comunicado de divulgação dos resultados da pesquisa, feito nesta 2ª, a AstraZeneca afirmou que não encontrou “nenhum risco maior de trombose ou eventos caracterizados por trombose entre os participantes que receberam pelo menos uma dose da vacina”.


Poder 360