Xuxa defende usar presos como cobaias em testes de remédios e vacinas: “Serviriam para alguma coisa antes de morrer”

Xuxa defende usar presos como cobaias em testes de remédios e vacinas: “Serviriam para alguma coisa antes de morrer”


A apresentadora Xuxa Meneghel causou polêmica na noite desta sexta-feira (26) por fazer uma sugestão que atenta contra os direitos humanos. Durante uma live sobre direitos dos animais promovida pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), a “rainha dos baixinhos” defendeu que pessoas presas no sistema carcerário sejam usadas de cobaia em testes de remédios e vacinas.

“Acho que, com remédios e outras coisas, eu tenho um pensamento que pode parecer muito ruim para as pessoas, desumano… Na minha opinião, existem muitas pessoas que fizeram muitas coisas erradas e estão aí pagando seus erros para sempre em prisões, que poderiam ajudar nesses casos aí, de pessoas para experimentos”, disparou Xuxa.

“Acho que pelo menos serviriam para alguma coisa antes de morrer, para ajudar a salvar vidas com remédios e com tudo. Aí vem o pessoal dos Direitos Humanos e dizer que não podem ser usados. Mas se são pessoas que está provado que irão passar sessenta, cinquenta anos na cadeia e que irão morrer lá, acho que poderiam usar ao menos um pouco da vidas delas para ajudar outras pessoas. Provando remédios, vacinas, provando tudo nessas pessoas”, completou a apresentadora.

Apesar de Xuxa ter citado penas acima de 50 anos, no Brasil a pena máxima de prisão é de 40 anos, conforme lei sancionada em 2019, pelo presidente Jair Bolsonaro. Anteriormente, a pena máxima no Brasil era de 30 anos.