Após 24 anos de incômodos à população, Varjota fecha definitivamente o lixão e inicia nova era no meio ambiente

Após 24 anos de incômodos à população, Varjota fecha definitivamente o lixão e inicia nova era no meio ambiente


O dia 22 de abril de 2021 entrou para a história do município de Varjota. Após 24 anos provocando incômodos e sérios transtornos à população e prejuízos ao meio ambiente, a Prefeitura Municipal fechou definitivamente o lixão da cidade, da localidade de Várzea da Palha, às margens da CE 183 e passa a executar um novo plano de manejo dos resíduos sólidos.

A partir de agora, os dejetos serão transbordados para a Central de Detritos em Pacujá e posteriormente seguem para o aterro sanitário da Central de Tratamento de Resíduos do Consórcio da Região Metropolitana de Sobral.


A solenidade, restrita a poucas pessoas e adotando as normas de segurança, contou com a presença do prefeito Elmo Monte, vice-prefeita Loura do Povo, secretário de meio ambiente José Bezerra e outros, que compartilharam da alegria junto com os moradores da localidade mais afetada, considerando a "realização de um sonho".

A falta de um projeto sério de descarte do lixo, ao longo das gestões anteriores, manteve o povo refém de um sistema falho que, ao contrário de beneficiar, prejudicou toda uma geração de varjotenses. Um problema de calamidade pública que já causou enormes danos a famílias inteiras do município. 


De longe, e de qualquer parte da cidade, podia-se ver e sentir a fumaça que vinha dos incêndios do Lixão. A cidade toda ficava imersa na fumaça. O prejuízo maior era sentido pelos moradores da Várzea da Palha. Para essas pessoas, as noites eram longas e insones, com a fumaça entrando em suas casas e a necessidade de oxigênio para respirar. O que resultou numa geração de crianças com problemas respiratórios. Famílias inteiras abandonaram suas casas para viverem longe de tanta fumaça e o odor fétido que vinha do lixão.

Atualmente, o município conta com quase 19 mil habitantes e produz diariamente 16 toneladas de resíduos sólidos, que abrange os úmidos, recicláveis, especiais, da saúde, poda, sobras de animais, entulhos de construção e perigosos.


Solução definitiva
A nova gestão, desde o primeiro dia em que assumiu a prefeitura, foi em busca de alternativas para resolver essa questão e desta forma foi resgatado os acordos para participação de Varjota no Consórcios de municípios da região norte do estado, que resolveria a situação, não apenas em Varjota, mas também em Alcântara, Cariré, Coreaú, Forquilha, Frecheirinha, Reriutaba, Graça, Groaíras, Massapê, Meruoca, Moraújo, Pacujá, Pires Ferreira Santana do Acaraú e Senador Sá.

Inicialmente, foi encerrada as atividades do lixão de Croatá dos Martins no início de março. Um trabalho desenvolvido pelo Departamento Municipal de Limpeza através das novas operações. E finalmente o principal lixão do município foi definitivamente fechado, com a disposição dos resíduos úmidos de cozinha e banheiro na Estação de Transbordo de Resíduos do Pacujá, resíduos estes que seguem para o aterro sanitário da Central de Tratamento de Resíduos do Consórcio em Sobral posteriormente.



Veja ao vivo