Auxílio cesta básica, do Governo do Estado, deve amparar mais de 70 trabalhadores em Santa Quitéria

Auxílio cesta básica, do Governo do Estado, deve amparar mais de 70 trabalhadores em Santa Quitéria


O governador Camilo Santana anunciou um auxílio cesta básica de R$ 200, pago em dois meses (R$ 100 por mês), a cerca de 150 mil pessoas no Ceará. Benefício é destinado a profissionais do transporte complementar (topiques), transporte escolar, ambulantes e feirantes, taxistas e mototaxistas, motoristas de aplicativos, bugueiros, guias turísticos, entre outros.

"Vai ser um cartão equivalente a R$ 200, e deve dar mais ou menos duas cestas básicas, uma num mês e outra no outro. Recebe um cartão e pode fazer as compras. Uma forma de estimular o comércio local dos municípios", explicou Camilo.

Camilo ainda afirmou que a ação deve "beneficiar as pessoas do transporte complementar, transporte escolar, ambulantes, feirantes, mototaxistas, taxistas, motoristas de aplicativos, bugueiros, guias turísticos, principalmente os setores que estão hoje sofrendo por conta das restrições nas suas atividades econômicas".

Em Santa Quitéria, o número de feirantes chega em 67 à frente das barraquinhas, além de 6 nas lanchonetes. De acordo com Paulo Alexandre Sousa, representante dos feirantes, o benefício chega em uma boa hora e irá auxiliar nesse período difícil. “É pouco, mas vai ajudar bastante, tendo em vista, o tempo que [os feirantes] ficaram parados”.

O representante dos topiqueiros no município, Robério, afirmou que o setor de transporte foi bastante prejudicado, contabilizando um total de 7 meses sem trabalhar. "Eu já estava até esperando que isso poderia acontecer [uma nova paralisação], mas estava rezando que não, para a gente continuar trabalhando. Mas aí infelizmente teve uma alta e nossos governantes tiveram que fechar", relembrou. 

Ao ser questionado sobre o auxílio cesta básica, o topiqueiro compartilha da mesma opinião que Paulo e concorda que o benefício é um valor muito baixo. "Na minha humilde opinião, foi muito pouco. [Neste ano] A gente está praticamente sem trabalhar há três meses e sem ganhar nenhum real por conta das topics paradas. Nós só ganhamos, se rodar. Mas é aquela história, qualquer ajuda é bem-vinda. Vamos ver como é que vai ser a questão na distribuição e vamos aguardar né?", pontuou Robério. 

Apesar das incertezas a frente da pandemia, os profissionais seguem mantendo a esperança e as expectativas em voltar a trabalhar normalmente. "Se Deus quiser a gente volta a trabalhar novamente! Não só na área do transporte, como todas as áreas também. Todos nós estamos passando por dificuldades. Se Deus quiser essa onda vai passar", finalizou o topiqueiro.