Com restrições, academias voltam a funcionar em Santa Quitéria

Com restrições, academias voltam a funcionar em Santa Quitéria


Além dos equipamentos de treino, as academias de Santa Quitéria receberam mais um suporte para a saúde. Além de barras e pesos, foram adicionados álcool em gel, máscaras e termômetros nessa segunda retomada da economia no município. Com protocolos semelhantes aos que eram praticados antes do segundo lockdown, as academias voltaram a abrir. Aos poucos, os alunos retornam mais confiantes em relação à segurança desses locais do que na volta do primeiro lockdown, de acordo com o Sindicato das Empresas de Condicionamento Físico do Ceará (Sindfit-CE).

Em uma pesquisa realizada no município, quatro das principais academias demonstraram estar seguindo os protocolos de segurança. De acordo com Edvando Abreu, da Geteffe Academia que estava utilizando um termômetro durante a entrevista, a academia criou um agendamento para não ocorrer aglomerações. Já para Carvalho Junior, dono da Kiterian Academia, o prejuízo de 7 meses parados – contando com 2020 e 2021 – é incalculável, tanto para os colaboradores, como professores e claro, alunos. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Auricélio Soares, da Wa Fit Academia, afirma que este momento é bem esperado já que quase dois meses parados reforça um impacto gigantesco financeiramente. Apesar de estar seguindo todos os protocolos, Auricélio mantém uma certa preocupação perante a limitação de horários. “Se não queremos muita aglomeração a limitação de horário vai trazer uma certa aglomeração. Infelizmente não podemos fazer nada, o decreto estadual está ai para ser seguido”, pontuou o empresário. 

Os estabelecimentos comemoraram a retomada, anunciada pelo governador Camilo Santana no último sábado (24), mas já planejam pleitear uma faixa maior de horário para o funcionamento das academias.

Busca de academias 
Débora Maciel, fisioterapeuta e dona da CFR Academia de Santa Quitéria, reforça que durante esta semana foi possível observar um movimento calmo em comparação aos últimos meses antes do lockdown. “O povo tem medo, tem receio”, lamentou a profissional. Além disso, também de acordo com a fisioterapeuta, essa falta de procura pode ser ocasionada devido a falta de auxilio financeiro das famílias. 

Prática de atividade física
Diante da ameaça que o coronavírus oferece à saúde das pessoas, manter um comportamento sedentário pode ser ainda pior. Isso porque a prática de atividade física melhora o sistema imunológico e ainda contribui para a proteção e o combate às doenças crônicas, que podem agravar as consequências do Coronavírus.

Cabe um destaque para a obesidade. Essa doença crônica estava mais presente nos óbitos de jovens que nos de idosos, de acordo com o boletim do Ministério da Saúde sobre a disseminação do COVID-19 no Brasil divulgado no início de abril. Nesse caso, a atividade física pode colaborar de maneira efetiva para a redução do acúmulo de gordura corporal e a melhora da saúde de forma global.

Confira as medidas de restrições para academia
  • O uso de máscara é obrigatório em todos os ambientes.
  • O espaço de exercício de cada aluno deve estar demarcado no piso nas áreas de treino.
  • No máximo 50% dos armários e aparelhos de cardio devem ser usados, com um distanciamento mínimo de 1,5 metro entre o que estiver em uso.
  • A higienização de equipamentos e objetos da academia deve ser feita antes e depois que cada cliente usar.
  • Nas áreas de musculação e peso livre, deve haver kits de limpeza em pontos estratégicos, com toalhas de papel e produtos específicos para higienização de equipamentos de treino como colchonetes, halteres e máquinas – antes e depois de cada uso.
  • A limpeza feita pelos funcionários deve ser realizada pelo menos três vezes ao dia.
  • Bebedouros e chuveiros ficam desativados nesta fase. 
  • A água das piscinas deve ser renovada regularmente.
  • Os clientes devem agendar horário para ir à academia. Recomenda-se que o estabelecimento oriente os clientes a malhar em horários alternativos, mais vazios.