Hospital de Santa Quitéria será beneficiado com usina de oxigênio; Sesa e BNDES buscam parcerias para instalação

Hospital de Santa Quitéria será beneficiado com usina de oxigênio; Sesa e BNDES buscam parcerias para instalação


O Hospital Municipal de Santa Quitéria e outras 39 unidades hospitalares do Ceará deverão ser atendidas com o programa Respira Ceará, uma parceria entre a Secretaria da Saúde do Estado, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e empresas privadas, que permitirá a doação de insumos, custeio e instalação de usinas de oxigênio. O acordo foi anunciado nesta sexta-feira, 16.

O agravamento da doença e o crescimento exponencial das internações nesta segunda onda ocorreram simultaneamente em todas as regiões cearenses, gerando grande elevação na demanda pelo gás medicinal. Este cenário, somado às dificuldades na distribuição, afeta 1/3 dos municípios cearenses, deixando-os sob risco de escassez de oxigênio.

Considerando o perfil hospitalar e a descentralização da saúde, Santa Quitéria pode receber uma miniusina com capacidade produtiva de 30m³/h - com custo de R$ 1,1 milhão de instalação - ou microusina de 20m³/h, no valor de R$ 600 mil. A informação foi confirmada ontem pelo deputado estadual Jeová Mota, em entrevista ao A Voz de Santa Quitéria.

“Nosso objetivo é evitar o risco e os custos das transferências de pacientes por escassez de oxigênio. A Sesa vislumbra, através das usinas instaladas nos hospitais dos municípios, uma rede de proteção permanente à vida, que ficará como legado pós-pandemia, viabilizando o funcionamento de estruturas hospitalares complexas de forma descentralizada, consolidando o atendimento amplo a todos os pacientes em suas cidades ou Regiões de Saúde”, ressalta o secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto.

O Matchfunding Salvando Vidas funciona com instituições parceiras do BNDES que operacionalizam as doações (Bionexo, EY, SITAWI Finanças do Bem, Confederação das Santas Casas de Misericórdia-CMB e Benfeitoria). As instituições recebem as doações das empresas e do Banco de fomento, negociam com os fornecedores e acompanham a instalação das usinas, tudo dentro de um processo de transparência e de auditoria. A cada R$ 1 doado pelos parceiros, o BNDES dobra o aporte.