Mães dormem em fila de banco para receber auxílio de R$ 100

Mães dormem em fila de banco para receber auxílio de R$ 100


Em meio à pandemia, dezenas de mães dormiram em frente a uma agência do Banco do Brasil, no Bairro Conjunto Ceará, em Fortaleza, em busca de senha de atendimento para receber um benefício de R$ 100 pago pela Prefeitura de Fortaleza a famílias de baixa renda com crianças até seis anos. A primeira mulher da fila afirma que chegou ao local por volta do meio-dia desta segunda-feira (12). Desde então, ela e outras que chegaram durante o restante do dia e a noite, se abrigam na calçada da agência para garantir uma senha.

Algumas crianças estavam acompanhando as mães, que dormiram em papelões no chão e tiveram que enfrentar, além do desconforto, o frio e a chuva forte que cai na capital desde a madrugada. Segundo as mulheres que buscam atendimento, a agência estava atendendo cerca de 20 pessoas por dia através da distribuição de senhas. Depois esse número foi ampliado para 40 senhas, ainda assim é insuficiente para a quantidade de mulheres que aguardam em frente ao local, como afirma Silvana da Silva Nascimento, que passou a noite em frente a agência.

"A gente está dormindo aqui e não estamos conseguindo ficha, porque só são 20 fichas. Aí quando a gente vem eles dizem que só são 20 fichas e mandam a gente vir passar a noite. A gente passa a noite e quando chega na nossa vez não tem mais ficha. Ontem eles começaram a dar 40 fichas, mesmo assim a gente não está conseguindo, não esta dando. A gente é mãe de família, se agente vem para cá passar a noite em um lugar desse aqui é porque a gente precisa", disse.

Algumas pessoas da fila já estavam em busca de atendimento pelo segundo dia seguido, é o caso de Germana Pereira. "Ontem eu cheguei 4h30 e nós não ficamos porque já tinha 42 pessoas. É tudo sacrificante, até porque deixei meus dois filhos com meu esposo que está doente com suspeita de Covid. Eu não tenho com quem deixar, então a opção é vim dormir, porque se a gente chegar 3h30 ou 4h30 não tem mais ficha", afirma. Por volta das 6h30 a quantidade de mulheres que aguardavam na fila era muito superior a de senhas que seriam distribuídas. Por conta disso, mães que chegaram na agência no início da manhã desistiram ao ver o tamanho da fila.

G1 CE