Polícia investiga golpe de R$ 194 milhões contra a Igreja Deus é Amor

Polícia investiga golpe de R$ 194 milhões contra a Igreja Deus é Amor


A Igreja Deus é Amor procurou a polícia e o Judiciário relatando ter sido alvo de uma tentativa de um golpe milionário em Gilbués, cidade de cerca de 10 mil habitantes no interior do Piauí.

De acordo com o relato feito pela Igreja, com base em documentos falsos, golpistas entraram com um processo na Justiça do município, localizado a cerca de 770 km de Teresina, cobrando uma suposta dívida de R$ 194 milhões. A dívida, segundo o processo, seria referente à compra de duas fazendas no interior do Estado, em 2014, uma de 12 mil hectares e outra de 9.800.

Antes que a Deus é Amor pudesse se manifestar na ação, a Justiça de Gilbués determinou o bloqueio de R$ 194 milhões das contas bancárias da igreja. Na sequência, ordenou a penhora de 10% dos valores bloqueados. Cerca de R$ 5 milhões chegaram a ser transferidos para outra agência bancária.

A Igreja, fundada em 1962 pelo missionário David Miranda, soube da ordem de bloqueio pelo Banco do Brasil e, assustada com os valores envolvidos, procurou a polícia relatando a tentativa de fraude. "O contrato é falso", afirmou à polícia e à Justiça. "A Igreja Pentecostal Deus é Amor nunca, jamais, em tempo algum, firmou o instrumento contratual executado, tampouco recebeu a posse de qualquer fazenda."

Misteriosamente, depois que a polícia e a Justiça foram acionadas pelos advogados da igreja, o autor do processo solicitou a extinção da cobrança alegando "questões de foro íntimo". Com aproximadamente 1,1 milhão de fiéis, a Deus é Amor possui mais de 22 mil igrejas no Brasil e tem filiais em 136 países.

UOL