Por risco de desabastecimento, Sesa orienta Santa Quitéria a reter vacinas para garantir segunda dose

Por risco de desabastecimento, Sesa orienta Santa Quitéria a reter vacinas para garantir segunda dose


Temendo desabastecimento de vacinas contra a Covid-19 no Brasil, a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) enviou orientação a Santa Quitéria e aos demais 183 municípios do Estado, nesta terça-feira, 27, pedindo que as prefeituras retenham vacinas contra a Covid-19 para garantir a aplicação da segunda dose em quem já recebeu a primeira.

A orientação ocorre um dia após o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, alertar estados e municípios sobre uma possível diminuição no ritmo de fornecimento da CoronaVac por causa de atrasos na importação do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) utilizado na fabricação da vacina. “Em face do retardo de insumo vindo da China para o Butantan, há uma dificuldade [na produção], tanto que essa semana não temos previsão de chegada de CoronaVac, só daqui a 10 dias”, revelou Queiroga.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Ministro ainda acrescentou que, com a queda na produção da vacina, as prefeituras precisam guardar as doses que serão utilizadas na segunda aplicação para garantir a imunização das pessoas que já receberam a primeira dose.

Desde março, a orientação do Ministério da Saúde era que todas as vacinas enviadas aos municípios, tanto a CovonaVac quanto a Astrazeneca/Oxford, fossem utilizadas para a primeira dose (D1), sem a necessidade de reserva de metade dos lotes para a aplicação da segunda dose (D2). Com a nova orientação do Governo Federal, a Sesa reforça que, caso as vacinas destinadas para a primeira aplicação se esgotem antes da chegada de um novo lote, os imunizantes reservados para a D2 não devem ser usados como D1.

Vacinômetro
De acordo com o Vacinômetro, gerenciado pela Sesa, Santa Quitéria já aplicou 6.716 vacinas contra a Covid-19 referentes à primeira dose, número que corresponde a 101,45% das enviadas para a primeira aplicação (D1). Já em relação à D2, o percentual chega a 89,86%, com utilização de 4.165 doses das 4.635 recebidas até esta terça-feira.

Com informações do O POVO