Sesa mantém retenção de vacinas e aguarda aumento de números de doses

Sesa mantém retenção de vacinas e aguarda aumento de números de doses


Em meio a críticas de prefeitos, a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) reafirmou ontem que deve manter a retenção de vacina para as regiões que não atingirem a meta de 85% de vacinação na primeira fase. A ação, que segue determinação do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) publicada em 21/3 último, inclui 37 cidades do Ceará.

Logo após a decisão, oficializada na última quinta-feira, 1º, alguns municípios se manifestaram sobre o caso. Nas redes sociais, a Prefeitura de Amontada, por exemplo, defendeu ter atingido a meta, porém, o sistema de registros das vacinas aplicadas contabiliza os dados até as 12 horas.

"A equipe dos postos de vacinação das localidades chegou ontem, 1º de abril, à sede após o horário limite do sistema, não podendo mais registrar para a data", disse. "Continuaremos cumprindo o que é mais importante no momento, vacinar a população e salvar vidas", reafirmou a nota. Segundo informações do último Vacinômetro, atualizado na sexta, a cidade aplicou 83% de vacinas da primeira dose em sua população, ainda não possuindo a porcentagem mínima.

Já o município de Jijoca de Jericoacoara cumpriu o estipulado, tendo alcançado 100,74% de imunizações na última sexta. Em nota pública, a prefeitura avaliou que "possíveis oscilações do sistema" ocasionaram o envio dos registros na quinta-feira, 1º. Por meio da Secretaria Municipal de Saúde, o texto também informa que já foi dado início à 2ª fase da vacinação, com idosos acima de 65 anos.

Outros municípios inseridos da lista das 37 cidades com doses retidas também se posicionaram nas redes sociais. Entre eles, estão Coreaú, Barro, Santana do Acaraú, Juazeiro do Norte, Araripe, Maracanaú, Massapê, Catunda, Uruoca e Caucaia. Em nota, o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems/CE) avaliou a retenção dos imunizantes como "uma ação arbitrária", visto que a meta informada pela Sesa não foi pactuada com os municípios, nem mesmo a penalização diante do seu descumprimento.

No documento, a instituição defende que problemas nos servidores e falta de revisão da situação do quantitativo de pessoas em cada município são fatores que podem retardar o envio de informações. Em resposta, a Sesa informou que a meta estipulada não se trata de meta populacional, e sim do desempenho e velocidade em relação à entrega e à aplicação. O órgão informa que os dados nominais e individualizados devem ser obrigatoriamente registrados no novo SIPNI - módulo Covid-19 (para estabelecimentos com Internet). Em casos de falta de acesso à internet, a pasta alega disponibilizar o eSUS - Coleta de Dados Simplificada (CDS).

Segundo a assessoria de imprensa da secretaria, com muitos dos municípios da lista já ultrapassando a meta de 85% na última sexta, a expectativa é que várias cidades com as doses retidas já cumpram o estipulado hoje, com a divulgação do próximo Vacinômetro. Contudo, ainda não há confirmação se as localidades serão contempladas com a próxima remessa de vacinas que deve chegar no Ceará.

O Povo