Só 25,5% dos municípios cearenses alcançaram metas da 1ª dose da vacina contra a Covid-19

Só 25,5% dos municípios cearenses alcançaram metas da 1ª dose da vacina contra a Covid-19


Dos 184 municípios cearenses, 47 ultrapassaram as metas de aplicação da primeira dose de vacinas contra a Covid-19. A maior parte das cidades (68) está perto da cobertura prevista, com taxas entre 90% e 100%. Porém, 58 municípios estão em ritmo mais lento, com índices entre 80% e 90%, enquanto que oito estão entre 70% e 80% e três estão abaixo de 70%.

Compõem a lista dos mais distantes das metas de vacinação estipuladas pelo Governo, por ordem crescente, os municípios de Coreaú (51,78%), Altaneira (67,79%) e Salitre (69,46%). Já os que estão entre 70% e 80% da cobertura são, também por ordem crescente: Araripe (72,92%), Ocara (73,26%), Tururu (73,85%), Aquiraz (76,76%), Tejuçuoca (77,54%), Catarina (77,58%), São João do Jaguaribe (77,86%) e Acopiara (78,53%).

De acordo com a presidente do Conselho das Secretárias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems-CE), Sayonara Cidade, o fato de alguns municípios estarem à frente de outros não significa, necessariamente, lentidão no processo de vacinação. Ela assegura que "todos estão vacinando muito" e que algumas cidades conseguem cumprir mais rápido as metas por, simplesmente, terem equipes de saúde maiores.

A representante explica ainda que as equipes precisam protocolar as doses aplicadas em dois sistemas, um federal e outro estadual, o que também pode implicar em atraso na atualização dos números do Vacinômetro. "A orientação é a mesma pra todos: cumprir e rever as metas [de cobertura]. Porque alguns municípios que não têm 100% de cadastro nessa meta estão aquém. Então, alguns conseguem avançar mais e outros menos", diz Sayonara.

Até as 17 horas da última terça-feira (20), o Ceará vacinou 1,2 milhão de pessoas — em primeira dose — contra a Covid-19. O número corresponde a 57% do total de doses recebidas pelo Estado até então (2,1 milhões). Já em segunda dose, foram feitas 502,8 aplicações.

Prioridades
Por critérios de prioridade, devido à baixa quantidade de doses, somente foram e estão sendo vacinados até o momento profissionais da saúde da linha de frente do combate à Covid-19, indígenas, quilombolas, idosos e pessoas com deficiência institucionalizados, idosos com mais de 60 anos de idade, profissionais da segurança e funcionários do sistema prisional. Mas, nos próximos dias, dependendo do envio de mais doses pelo Governo Federal, alguns dos municípios com vacinação mais célere devem seguir para a terceira fase da campanha, que pretende imunizar pessoas com comorbidades e com deficiência permanente grave.

Diário do Nordeste