COLUNA: Gigantes eliminados e dominância ‘BR’; confira como foram os brasileiros na 1º fase das competições intercontinentais

COLUNA: Gigantes eliminados e dominância ‘BR’; confira como foram os brasileiros na 1º fase das competições intercontinentais


Na última quinta-feira, 27, aconteceram os últimos jogos da 1º fase da Libertadores e da Sul-Americana 2021. Com seis rodadas completas em todos os grupos de ambas as competições, já pudemos conhecer quem se classificou e quais equipes caíram fora dos campeonatos intercontinentais. Ao todo, 14 times brasileiros estavam disputando as duas copas. 

Libertadores da América


A começar pela Libertadores, onde, de brasileiro, apenas o Santos não conseguiu avançar de fase na competição e vai jogar agora a Copa Sul-Americana entrando nas oitavas. Os outros 6 clubes (Palmeiras, Internacional, Flamengo, Atlético-MG, Fluminense e São Paulo) estão na próxima fase da “Liberta”. Dentre esses, o Galo e o Alviverde foram os que menos passaram por desconfiança em relação a classificação. O rubro-negro carioca também teve vida tranquila em sua chave. 

O Internacional esteve em um grupo muito equilibrado - até mesmo em questão de pontos - e só na última rodada, com uma vitória em casa, selou a liderança e o avanço a próxima fase. Por último, os dois tricolores, São Paulo e Fluminense. O time paulista esteve em um grupo que, logo de cara, já se imaginava os dois que iriam avançar e assim se desenrolou. Por outro lado, o Fluminense teria caído no “grupo da morte”, com River Plate, Barranquilla e Santa Fé, e, mesmo assim, se classificou em 1º lugar. 

Comenta-se que a Libertadores desse ano está em um bom nível técnico. Com o afunilamento da competição, conseguimos perceber os gigantes do continente se classificando e chegando forte para a fase eliminatória. Os confrontos das oitavas serão decididos por meio de sorteio. 

Sul-Americana


Se na Libertadores tivemos um bom número de brasileiros classificados, na “Sula” foi um pouquinho diferente - muito por conta de só se classificar uma equipe por grupo. Com também 7 equipes disputando a competição, três avançaram (Grêmio, Bragantino e Athletico) e quatro ficaram pelo caminho (Ceará, Bahia, Atlético-GO e Corinthians). 

O time gaúcho, com o recém chegado Tiago Nunes, fez valer o favoritismo no grupo e se classificou sem sustos. Já o Red Bull Bragantino pegou uma chave mais equilibrada, mas fez uma reta final muito boa e avançou de fase. Athletico caiu em um grupo considerado fácil e não decepcionou.  

Agora, os desclassificados – que não necessariamente tenham feito má campanha. O Ceará, por exemplo, esteve em uma chave bem equilibrada, liderou durante todo o campeonato e acabou perdendo a vaga para o Arsenal de Sarandí, da Argentina, na última rodada. O também nordestino, Bahia, viu o Independiente dominar o grupo e se classificar. 

Atlético-GO foi guerreiro, caiu contra equipes renomadas e demonstrou bom futebol, mas que no final não foi suficiente para chegar às oitavas. Já o Corinthians não foi tão bem como se espera de uma equipe grande. Na verdade, bem antes da última rodada já não tinha mais chance de classificação. 
Assim como o Santos, os demais ‘terceiros lugar’ da Liberta enfrentam os classificados da fase de grupos da Sula. Os times vindos da Libertadores estarão em um pote do sorteio e os que avançaram da própria Sul-Americana, estarão em outro.