Foto de encontro de Lula e Fernando Henrique Cardoso causa diferentes reações políticas

Foto de encontro de Lula e Fernando Henrique Cardoso causa diferentes reações políticas


A divulgação de foto do encontro entre os ex-presidentes Lula (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) causou diferentes reações políticas ao longo desta sexta-feira (21). A imagem mostra os ex-presidentes se cumprimentando durante almoço que aconteceu no último dia 12.

Os diretórios nacional e paulista do PSDB emitiram notas em tom de desconforto com o encontro entre os outrora rivais políticos. Apesar de FHC não ter declarado apoio a Lula no primeiro turno, ele tem dito em entrevistas que votará no petista, se for preciso, para derrotar Jair Bolsonaro (sem partido).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Esse encontro ajuda a derrotar Bolsonaro, mas não faz bem a um potencial candidato do PSDB", disse o presidente nacional da legenda, Bruno Araújo. "Nossa característica é saber dialogar, inclusive com adversários políticos", continuou Araújo. "De toda forma, precisamos evitar sinais trocados a nossos eleitores. O partido segue firme na construção de uma candidatura distante dos extremos que se estabeleceram na democracia brasileira."

O almoço entre os ex-presidentes, que ocorreu no dia 12 de maio no apartamento do ex-ministro do STF e ex-ministro da Justiça e da Defesa Nelson Jobim, foi revelado por Lula na manhã desta sexta em uma publicação em suas redes sociais.

Os perfis do petista informaram que os dois "se reuniram para um almoço com muita democracia no cardápio" e "tiveram uma longa conversa sobre o Brasil, sobre nossa democracia, e o descaso do governo Bolsonaro no enfrentamento da pandemia".

Para afastar possíveis distorções sobre o encontro, FHC afirmou, horas mais tarde, também em uma rede social, que seu gesto não significa apoio imediato à pré-candidatura de Lula. "Reafirmo, para evitar más interpretações: PSDB deve lançar candidato e o apoiarei; se não o levarmos ao segundo turno, neste caso não apoiarei o atual mandante, mas quem a ele se oponha, mesmo o Lula", escreveu o tucano, que é presidente de honra do PSDB.

Com agências