Saga das abelhas na ponte do Jacurutu: alerta permanece, enxame impossibilitado de ser removido

Saga das abelhas na ponte do Jacurutu: alerta permanece, enxame impossibilitado de ser removido


Passada uma semana da mobilização feita na avenida Melquíades Mourão, na ponte do Rio Jacurutu, em Santa Quitéria, para a retirada de um enxame, a saga das abelhas continua e ainda vale o alerta para as pessoas que passam pelo local. Na semana passada, alguns transeuntes chegaram a ser atacados e a equipe do apiário MagMel, junto com a Secretaria de Segurança, se organizaram para tentar fazer a remoção de maneira segura, mas infelizmente não obtiveram êxito.

De acordo com Marcelo Magalhães, o local onde os insetos estão é embaixo da ponte, entre dois pilares e não tem acesso para que se possa fazer o resgate. "Não há como retirar da maneira segura, até para salvar abelhas, não ter de exterminar", relatou ao A Voz de Santa Quitéria.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ele acredita que, devido ser dificultoso o acesso, é provável de que a colmeia seja exterminada, mas informou que a pasta deverá tomar as providências cabíveis em relação ao assunto. Nas redes sociais do site, alguns internautas comentaram que o problema já dura há, pelo menos, três anos, no entanto, sem provocar maiores riscos, como ocorreu recentemente.

As abelhas podem representar muito mais perigo do que se imagina. Um ataque desse inseto pode ser fatal e, em casos raros, o indivíduo hipersensível pode morrer em virtude de uma única ferroada. Ao picar, a abelha deixa no corpo da vítima parte do abdome, o que atrai o restante do enxame, causando um ataque múltiplo, além de dor intensa e mal-estar.