Tio é preso por estupro de vulnerável de sobrinha de um ano e seis meses

Tio é preso por estupro de vulnerável de sobrinha de um ano e seis meses


Um homem de 19 anos foi preso em flagrante na última quinta-feira, (13), em uma ação da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por estupro de vulnerável da sobrinha, uma criança de um ano e seis meses. O caso aconteceu no município de Acaraú, no Litoral Norte. A identificação do suspeito não foi publicada para não expor a vítima.

Os policiais civis da Delegacia Municipal de Cruz foram acionados pela mãe da criança e irmã do suspeito, que relatou que a filha foi estuprada quando estava na casa da avó materna, onde o suspeito mora. Segundo a Polícia, a mãe disse que criança foi para a casa da avó enquanto ela preparava o almoço, e pediu que sua outra filha, irmã mais velha da vítima, fosse buscá-la.

A menina foi e, quando retornou, relatou à mãe que a irmã mais nova estava sem roupa e na cama do tio. A mãe foi até o local buscar a criança e notou sinais de que a filha tinha sofrido abuso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Imediatamente, a mãe da vítima compareceu à delegacia e relatou o crime. Os policiais civis saíram na busca do suspeito e o localizaram escondido em um beco. Foi realizado um cerco policial que resultou na captura do suspeito.

Conforme informado pela PCCE, o homem, que quando adolescente já respondeu a um ato infracional análogo a estupro de vulnerável, foi autuado em flagrante novamente pelo crime. Em depoimento, ele confessou o crime contra a sobrinha. De acordo com a lei, o estupro de vulnerável é previsto no artigo 217-A do Código Penal e consiste em ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos. A pena prevista é de reclusão de 8 a 15 anos.

Denúncias
A Polícia Civil ressalta que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para os números (88) 3660-1436 e (88) 99673-5794 (Whatsapp), da Delegacia Municipal de Cruz. O sigilo e o anonimato são garantidos.

O Povo