Vacinação de grávidas e puérperas no Ceará deve continuar com CoronaVac e Pfizer, recomenda secretaria

Vacinação de grávidas e puérperas no Ceará deve continuar com CoronaVac e Pfizer, recomenda secretaria


A vacinação contra Covid-19 de gestantes e puérperas no Ceará deve seguir com a aplicação das vacinas CoronaVac e Pfizer/BioNTech, conforme recomenda a Secretaria da Saúde (Sesa) do estado. A orientação é válida tanto para aquelas com comorbidades, como as que não têm problemas de saúde.

A orientação repassada nesta quarta-feira (12) segue, em partes, a determinação do Ministério da Saúde. O órgão ministerial anunciou nesta terça-feira (11) que a vacinação de grávidas e de puérperas no Brasil deve acontecer apenas para mulheres com comorbidades (doenças pré-existentes) e elas devem receber exclusivamente as vacinas CoronaVac e Pfizer.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Liduina Rocha, assessora técnica da Sesa e consultora da Escola de Saúde Pública, justifica a decisão da equipe técnica da Saúde no Ceará: "Não ha nenhum efeito adverso em literatura com as outras duas vacinas [CoronaVac e Pfizer]. E gestantes, mesmo sem risco habitual, elas têm um potencial, possibilidade de complicação, de morbidade e de letalidade. Portanto, no Ceará a recomendação é que se siga aquilo que a literatura internacional [...] continua recomendando: gestantes e puérperas devem ser vacinadas, nós devemos manter no calendário de vacinação, independente de haver comorbidade ou não".

No Ceará, 27 municípios vacinaram gestantes, possivelmente na primeira e segunda fase da imunização. “Gestantes e puérperas devem ser vacinadas. Nós já vínhamos mantendo no calendário de vacinação, independente de haver comorbidade ou não. Reações graves são extremamente raras”, explica Liduina.

G1 CE