Vacinas chegam ao Ceará para impulsionar cobertura; Coronavac é insuficiente para D2

Vacinas chegam ao Ceará para impulsionar cobertura; Coronavac é insuficiente para D2


Desembarca no Ceará, nesta segunda-feira, 3, remessa com 273.330 frascos de vacinas contra a Covid-19. Sendo 255.750 da Astrazeneca e 17.550 da Pfizer. Os imunizantes devem impulsionar a chegada de municípios cearenses à terceira fase da Campanha de Imunização. Por outro lado, a cobertura da Coronavac, da Sinovac/Butantan, vive um dilema no Estado.

Isso porque 26 municípios estão com a data de aplicação expirada para dose de reforço dos idosos. O último lote recebido no Ceará da vacina Coronavac, com 11.600 frascos, será distribuído até esta terça-feira, 4, às cidades que sinalizaram o problema à Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Entre as que já receberam estão Fortaleza e Horizonte, na Região Metropolitana. Fortaleza retoma hoje a segunda dose da Coronavac.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além das duas já contempladas, solicitaram reforço extraordinário à Sesa: Sobral, Reriutaba, Icapuí, Barbalha, Irauçuba, Farias Brito, Moraújo, Quixadá, Missão Velha, Lavras, Itatira, Icó, Piquet Carneiro, Assaré, Várzea Alegre, Cedro, Orós, Jucás, Cariús, Itapiúna, Abaiara, Quiterianópolis, Groaíras e Paraipaba. De acordo com o órgão estadual, esses municípios também receberão imunizantes da AstraZeneca. A Pfizer, a priori, fica apenas em Fortaleza, por recomendação do Ministério da Saúde.

Ontem à noite, o jornalista Lauro Jardim, do O Globo, revelou que o cronograma oficial do Instituto Butantan projeta a entrega de mais de um milhão de doses da vacina CoronaVac para a próxima quinta-feira, dia 6. Esses imunizantes irão retomar as aplicações de segunda dose paralisadas em ao menos seis capitais por falta de estoque, dentre elas Fortaleza. O Butantan projeta mais dois milhões de doses na segunda-feira seguinte, dia 10 de maio. Ainda na mesma semana, nos dias 12 e 14, devem ser entregues outras 2,1 milhões de doses da CoronaVac.

Nesta terça-feira, 4, a segunda maior cidade do Ceará pode figurar entre os municípos sem estoque para a D2 da Coronavac. O município da Região Metropolitana tem um total de 4 mil frascos de D2 suficientes até esta terça-feira. De acordo com o secretário da saúde do município, Zozimo Medeiros, a cidade recebeu 66% de D2 em relação a D1.

Neste final de semana, entidades entraram com ação conjunta na Justiça Federal para garantir que o MS priorize o envio de 58 mil doses de reforço ao Estado para finalizar a vacinação dos idosos atrasados na etapa de reforço da Coronavac, da Sinovac/Butantan. Participam da Ação Civil Pública o Governo do Ceará, através da Procuradoria Geral do Estado (PGE), em conjunto com o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho (MPT), Defensoria Pública do Ceará (DPCE), e Defensoria Pública da União (DPU).

De acordo com o Vacinômetro do Estado, 2.031.214 milhões de doses contra a Covid-19 foram aplicadas desde o início da campanha de imunização no Ceará: 1.330.833 na primeira dose e 700.381 na segunda, conforme dados de 29 de abril. Mais atrasado ainda estão os dados de distribuição de vacina aos municípios cearenses. A última atualização do Governo do Estado foi em 26 de abril, há uma semana. À época, havia 3.906 fracos de duas remessas diferentes da Coronavac. Uma das recomendações do Ministério Público do Ceará, para evitar problemas com falta de vacina no Ceará, é justamente unificar esses dados em um sistema único. O prazo era de cinco dias. De acordo com a Sesa, a atualização dos dados ocorre durante a semana.

O Povo