Vereadores Dânio e Miúdo trocam farpas durante sessão: "você não anda no município", "se preocupe com seus eleitores, comigo não"

Vereadores Dânio e Miúdo trocam farpas durante sessão: "você não anda no município", "se preocupe com seus eleitores, comigo não"


O clima esquentou na sessão remota da Câmara Municipal de Santa Quitéria, na última sexta-feira (30), quando os vereadores Dânio Braga (PT) e Miúdo (MDB), que também são compadres, trocaram farpas sobre andar pelo interior do município e se preocupar com os eleitores em seus respectivos redutos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O primeiro, que estava em pronunciamento, abordava sobre a distribuição de sementes feitas pelo escritório local da Ematerce, que uma grande quantidade não havia sido entregue aos agricultores, bem como alguns supostamente teriam recebido a mais. De pronto, Miúdo pediu a palavra, afirmando que havia recebido em sua propriedade e que se tratava de uma denúncia séria, sugerindo a convocação do gerente Zé Francisco para prestar esclarecimentos e a partir daí, o bate-boca começou.


"Realmente meu compadre, você tem toda razão, beneficiou alguns e outros não. Você não anda no município, mas se você andar, lhe levo, pego no seu braço e ando todo o município, bora lá no Saco do Belém, no Riacho das Pedras", se exaltou Dânio, tendo ficado inaudível parte da discussão. O outro disse que não estava o atingindo, questionou se andava com ele pelo município e citou que não andava fazendo 'coisa irregular' na Ematerce. O petista prosseguiu com as críticas a Miúdo, que "não precisa tá morando fora pra saber do que tá acontecendo aqui, por boca dos outros não".

Logo em seguida, o colega tentou se defender, dizendo que "se preocupe com os eleitores dele e não comigo". Dânio não deixou barato e disparou que "se você não se encontra com o povo, eu me encontro, tenho compromisso, quando não tem compromisso com o povo é desse jeito".

A falta de consistência e de provas da suposta denúncia foi criticada por outros colegas, como Renato Catunda (PT), que indicou que a versão de Zé Francisco sobre o citado assunto poderia ser enviada através de ofício e que a Casa poderia passar vexame por não se inteirar sobre do que realmente se trata. Ao final da sessão, o requerimento para a convocação foi aprovado pela maioria dos parlamentares e ironicamente, quem apresentou a causa votou contra.