1º ônibus com salas de vacinação contra covid passará pelo Ceará

1º ônibus com salas de vacinação contra covid passará pelo Ceará


Um ônibus adaptado com cinco salas de vacinação começou a rodar pelo Nordeste brasileiro para acelerar a imunização contra a covid-19. Doado pela Mercedes-Benz à Cruz Vermelha, o veículo rodoviário O 500 R começou o circuito na tarde da quarta-feira (9) em Maceió, onde deve passar ao menos um mês passando por bairros da capital alagoana. O projeto conta com dois ônibus, que irão circular pelo país durante o ano.

A ação conta com apoio financeiro do Ministério Federal de Cooperação Econômica e Desenvolvimento da Alemanha e da Câmara Brasil-Alemanha. "Aqui foi o pontapé da operação, mas esses ônibus vão rodar o país. O projeto tem como principal objetivo levar vacina até o povo, não que o povo vá até a vacina", diz Júlio Cals, presidente da Cruz Vermelha Brasileira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No Circuito Nordeste estão previstas, inicialmente, visitas às cidades de Natal, Fortaleza e São Luís, num total de 4.350 km. Já o Circuito Norte será cumprido por um ônibus urbano e passará por Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campo Grande, Brasília, Cuiabá, Porto Velho e Rio Branco, percorrendo 6.570 km. A ideia é que a vacinação desse circuito comece na semana que vem.

Inicialmente, o ônibus ficará 30 dias em cada cidade, com possibilidade de estender por mais 15 dias, mediante pedido da prefeitura. A princípio, apenas capitais serão visitadas, mas municípios do interior também podem entrar no mapa, mediante acerto com a Cruz Vermelha. "Só existem três ônibus desse no mundo: esses dois e um Nova York, nos EUA", diz Cals.

Centenas foram se vacinar Toda a operacionalização do ônibus é feita por voluntários da entidade, que atuam desde a organização das filas logo cedo à triagem dos pacientes. Já os vacinadores e administradores das doses são designados pela prefeitura. "Para o projeto precisamos do apoio das prefeituras porque, pelo PNI [Programa Nacional de Imunização], são elas que têm a prerrogativa de imunizar as pessoas. A Cruz Vermelha entra como força auxiliar, com equipamentos e voluntários. As vacinas são das prefeituras, seguimos o cronograma delas", explica. Além da imunização, ainda há ações de educação sanitária, com distanciamento social, higienização e uso de máscaras.

UOL Notícias