600 mil pessoas não voltaram para receber 2ª dose da AstraZeneca, diz Ministério da Saúde

600 mil pessoas não voltaram para receber 2ª dose da AstraZeneca, diz Ministério da Saúde


De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 600 mil pessoas não apareceram para receber a segunda dose da vacina da AstraZeneca. As informações são da analista de Economia da CNN Raquel Landim. Até o momento, 3,3 milhões de pessoas já foram completamente imunizadas com o medicamento. Outras 3,9 milhões já poderiam ter tomado a vacina e ainda não a receberam.

Efeitos colaterais
O Sindicato dos Enfermeiros do Rio de Janeiro (SindEnfRJ) recebeu relatos de profissionais que atuam nos postos de vacinação sobre a rejeição do imunizante da AstraZeneca devido ao receio de algumas pessoas com relação aos efeitos colaterais do imunizante.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O vice-presidente Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Renato Kfouri, alerta que "é muito frequente o indivíduo apresentar algum sintoma após receber uma vacina". "É o que chamamos de eventos adversos", explica. "Ter um dia ou dois de febre ou mal-estar passa, isso se resolve sozinho. Perto da complicação que a Covid-19 pode trazer, é incomparável", completa. 

Questionado sobre a situação, o Conselho Federal de Medicina disse que, apesar de não ter recebido queixas ou denúncias sobre esses casos, as pessoas devem ser imunizadas com a vacina disponível no posto naquele momento, já que escolher o imunizante e se recusar a tomar outro retarda a proteção da pessoa e a deixa vulnerável desnecessariamente por mais tempo.

As vacinas contra a Covid-19 garantem proteção porque previnem a doença, especialmente nas formas graves, reduzindo as chances de morte e internações. Embora não impeça o contágio e nem a transmissão do vírus, a vacinação é essencial, já que induz o sistema de defesa do corpo a produzir imunidade contra o coronavírus pela ação de anticorpos específicos, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

CNN Brasil