Contra orientação do Ministério da Saúde, município começa a vacinar adolescentes antes de terminar adultos

Contra orientação do Ministério da Saúde, município começa a vacinar adolescentes antes de terminar adultos


A Prefeitura de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, começou a vacinar estudantes de 12 a 14 anos contra a Covid-19 a partir desta quarta-feira (16). Para especialistas ouvidos pelo G1, vacinar adolescentes contra a Covid-19 antes de concluir a imunização das pessoas com 18 anos ou mais é uma estratégia equivocada.

Procurado pelo G1 para comentar a iniciativa de Betim, o Ministério da Saúde disse que a ampliação da vacinação para adolescentes acima de 12 anos ainda está "em discussão". E reforçou que, neste momento, "a prioridade é vacinar todos os grupos prioritários estipulados pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 e imunizar toda a população acima de 18 anos" -- o que não foi feito ainda em Betim. Disse ainda que "a orientação é para que estados e municípios sigam o que é recomendado pelo Ministério da Saúde", embora os gestores locais tenham autonomia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

'Vai ser a primeira da família'
A dona de casa Marilene Pereira, de 33 anos, e a filha Isabella Pereira dos Santos, de 12, foram as primeiras da fila na Escola Municipal Jorge Afonso Defensor, no bairro Marimbá. Para elas, a imunização é muito importante. "Eu vou me vacinar e gostaria que todas [as crianças se vacinassem", diz Isabella. E a mãe completou,"Por isso hoje eu madruguei [na fila] porque eu acho importante. Ela [Isabella] vai ser a primeira da família. A minha vez ainda nem chegou, mas eu agradeço muito ter chegado a hora dela", destaca Marilene. A medida foi anunciada após a chegada de 6.047 doses de vacinas da Pfizer, que recebeu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser usada em pessoas a partir de 12 anos.

Restante da população não foi vacinada
A Prefeitura de Betim ainda não vacinou toda a população acima de 18 anos. Atualmente, a cidade está imunizando pessoas com 59 anos, pessoas com deficiência permanente e pessoas de 40 a 49 anos com comorbidade. O secretário municipal de Saúde de Betim, Augusto Viana, disse à TV Globo que, após a Anvisa autorizar a vacinação de adolescentes com doses da Pfizer, a prefeitura realizou uma "discussão interna" e optou por imunizar os estudantes de 12 a 14 anos.

"Existem já algumas orientações de que este público é o que mais está sofrendo do ponto de vista de não ter acesso ao ensino de forma presencial. O município já vem avançando para termos o retorno às atividades escolares de forma gradual e, no nosso entendimento, este público, nós temos condições de levar para a sala de aula com segurança e planejamento", afirmou.

Questionado sobre por que a prefeitura optou por vacinar adolescentes, em vez de priorizar os adultos por ordem decrescente de idade, o secretário disse que o grupo com idade a partir de 12 anos é um dos principais vetores do vírus. "Nós estamos procurando cumprir esse protocolo do mais velho para o mais novo, mas, ao mesmo tempo, vários estudos apontam cientificamente que este é o grupo de maiores vetores, os adolescentes são os grandes vetores. Estamos dando um passo no sentido de procurar imunizar os principais vetores do vírus", pontuou Viana.

a Organização Mundial da Saúde (OMS) é contra a vacinação de crianças no atual momento e diz que os países ricos deveriam adiar seus planos de imunizar crianças e doar as vacinas para o resto do mundo.

Portal G1