Estoques de D1 começam a esgotar em pelo menos 21 municípios do Ceará

Estoques de D1 começam a esgotar em pelo menos 21 municípios do Ceará


Pelo menos 21 municípios do Ceará estão sem estoque ou perto de finalizar aplicação de vacinas destinadas à primeira dose (D1). Estão incluídos nessa lista os dez municípios mais populosos do Ceará: Fortaleza, Caucaia, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Sobral, Crato, Itapipoca, Maranguape, Iguatu e Quixadá.

Fortaleza deve vacinar público geral com os últimos imunizantes para primeira dose (D1) em estoque hoje, 30. Rilson Andrade, vice-presidente do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems-CE), explica que as doses recebidas nas últimas remessas têm terminado rapidamente. "A gente tá aplicando o mais rápido possível a D1 para imunizar o mais rapidamente a população", afirma.

Em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), o número de doses remanescentes para D1 representa menos de 100 aplicações. Por isso, o município não abriu agenda para vacinação hoje e amanhã, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Em Juazeiro do Norte, no Cariri, as últimas doses devem ser aplicadas hoje.

Segundo Rilson, todos os municípios são orientados a reservar as segundas doses dos vacinados. "Não podemos utilizar D2 como D1 porque a imunização só se completa com a 2ª dose. Se algum município fizer e, de repente, por algum problema de distribuição do Ministério [da Saúde], chega a hora da D2 e não tem", completa. Conforme o vice-presidente do Cosems, existe a informação do Estado de que novas doses devem chegar "nos próximos dias".

Também secretário municipal de Pindoretama, Rilson conta que a última remessa recebida na Cidade terminou em um mutirão realizado no último domingo, 27. O POVO pediu à Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) o levantamento oficial dos municípios que esgotaram o estoque de primeira dose do Estado, e questionou sobre a previsão para chegada de novas remessas de vacina. Até o fechamento desta matéria, a pasta não tinha retornado.

A campanha de vacinação ocorre paralelamente aos cadastros exigidos pela Sesa na plataforma Saúde Digital para organizar a campanha no Estado. Quando termina o estoque de D1, as cidades começam a aplicar a D2 ou a intensificar os mutirões de cadastros. Quanto mais pessoas cadastradas, mais doses para a população geral a cidade tem perspectiva de receber.

Para Josete Malheiros, secretário de saúde do Eusébio, a liberação de doses é limitada, primeiramente, pela baixa oferta de vacinas disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. O estoque de D1 na Cidade encerrou ontem, 29. Além disso, ele menciona que, no Ceará, a distribuição das doses ocorre de acordo com o cadastro das pessoas no Saúde Digital, mas para ele, essa distribuição "deveria ser feita a partir dos dados censitários da população residente em cada município", segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Assim, quase sempre estaremos com doses recebidas a menos do que a necessidade real", argumenta o secretário. Segundo o Plano de Operacionalização para Vacinação contra Covid-19, a resolução Nº 66/2021 - CIB/CE aprovou o início da vacinação da população em geral na 4ª Fase sem prejuízo da vacinação dos grupos prioritários. Dessa forma, o documento aponta que a Sesa deverá distribuir as doses de vacinas aos municípios, a partir dos cadastros realizados no Saúde Digital, "de modo a garantir a continuidade e conclusão da vacinação dos grupos prioritários que se encontram em andamento" e, adicionalmente, da população geral.

O Povo Online