Mães lactantes de Santa Quitéria se unem para reivindicar priorização na fila da vacina; projeto foi aprovado na Câmara

Mães lactantes de Santa Quitéria se unem para reivindicar priorização na fila da vacina; projeto foi aprovado na Câmara


A amamentação é o primeiro meio de alimentação de um bebê, além de suprir a necessidade alimentícia de um recém-nascido, o leite materno reforça a imunização da criança contra diversas doenças. Ao amamentar, a mãe é capaz de passar anticorpos para o bebê através do leite materno. Este ano, após o início da imunização contra a covid-19 de grávidas e puérperas, de acordo com estudo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, mães lactantes vacinadas contra a Covid-19 com o imunizante Coronavac tem anticorpos no leite mesmo após quatro meses de receberem a vacina.

Na tarde desta terça-feira (15), o projeto nacional de inclusão de mães lactantes no grupo prioritário do Programa Nacional de Imunização contra o covid-19 foi aprovado pelo Senado. A proposta é de autoria do senador Jean Paul Prates (PT-RN), mas foi aprovado conforme a versão apresentada pela relatora, Zenaide Maia (PROS-RN). O projeto agora segue para a Câmara dos Deputados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em Santa Quitéria, o vereador Irmão Pereira (MDB) apresentou o projeto de inclusão das lactantes quiterienses no programa de vacinação do município nesta última sexta-feira (11) na câmara de vereadores do município, após revisão do projeto, a proposta foi aprovada pelos vereadores e segue para o gabinete do prefeito. Atualmente, mais de 213 mães cearenses estão reunidas através das redes sociais no movimento de luta e apoio ao projeto.

A quiteriense Andréa Freire faz parte do grupo de lactantes que apoiam o projeto. Segundo ela, as crianças menores de dois anos estão mais expostas ao vírus. "Como as crianças menores de dois anos não podem usar máscara eles ficam suscetíveis ao vírus", afirma Andréa. "Muitas mães trabalham, acaba se colocando em risco e também a criança se ela for infectada com o vírus a criança também vai ser infectada", finaliza.

Cinco estados brasileiros já incluíram mães lactantes no grupo de prioridade da vacinação contra o covid-19, outros estados estudam a proposta de também adicionarem esse público ao grupo prioritário de gestantes e puérperas. No Ceará, no município de Caucaia, o parecer ao projeto de adicionar lactantes no grupo prioritário já foi aprovado.