Médico ex-cirurgião do Hospital de Santa Quitéria é preso por invasão e ameaça contra ex-mulher em São Benedito

Médico ex-cirurgião do Hospital de Santa Quitéria é preso por invasão e ameaça contra ex-mulher em São Benedito


O médico Victor Torres Melo, ex-cirurgião do Hospital Municipal de Santa Quitéria, foi preso por invasão de propriedade, ameaça, violação à medida protetiva e violência doméstica contra a ex-mulher, na noite do último domingo (13), na cidade de São Benedito.

Ele quebrou o portão da casa onde a ex companheira estava, com a filha dos dois, e afirmou querer levar a criança. Segundo a família, ele ameaçou a mulher, sua irmã, sua mãe e o namorado da irmã. Victor foi afastado do cargo de diretor clínico do Hospital Municipal de São Benedito pela Prefeitura, conforme decreto publicado nesta terça-feira (15). 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vídeos gravados na noite de domingo mostram a invasão. Após quebrar o portão conseguir entrar na casa, ele foi impedido pelos familiares da vítima de entrar na casa, que já havia chamado a polícia.


"Eu vou dizer uma coisa. Abre a porta, antes que eu te tire daí de dentro. Eu não estou ligando para a polícia", disse em um dos momentos. "Manda me prender para tu ver, se eu não mando te matar. Tu, tua mãe e tuas irmãs todas. Manda me prender, para tu ver", ameaçou. O médico também ameaçou tacar fogo no carro de um dos familiares.

Victor afirmou ser membro de uma facção criminosa. A Justiça atendeu o pedido do Ministério Público e converteu a prisão em flagrante em preventiva. Ele deve permanecer detido por tempo indeterminado. No processo, que corre na Comarca de São Benedito, a prisão é determinada para fazer cumprir a medida protetiva em favor da mulher e proteger sua integridade física e psicológica.

Desde que a ação cautelar está em vigor, Vitor utiliza perfis falsos em redes sociais para ameaçar a mulher e pessoas com que ela se relaciona. 

"Deste modo, verifica-se que a manutenção do acusado em liberdade importa em risco verdadeiro e atual à integridade física e psicológica da ofendida, de sorte que a custódia provisória é a única forma de garantir a ordem pública, entendida, neste caso, como a proteção da vítima, uma vez que outras medidas se mostraram insuficientes para coibir a práticas de atos criminosos pelo flagranteado, conforme o disposto no artigo 312 e 313, inciso III, ambos do Código de Processo Penal", diz a determinação.

Em fevereiro deste ano, Victor também foi demitido do Hospital Municipal de Santa Quitéria, após receber de uma só vez, um salário de R$ 62.350,00, referente a grande quantidade de cirurgias que fazia e o valor que chamou a atenção, caso que repercutiu bastante no início da administração Braguinha.

Com informações do Diário do Nordeste