Morte de Lázaro: 'Bem a gente não está, mas traz um pouco de alívio', diz irmão de vítima de chacina no DF

Morte de Lázaro: 'Bem a gente não está, mas traz um pouco de alívio', diz irmão de vítima de chacina no DF


O irmão de uma das vítimas da chacina em Ceilândia, no Distrito Federal, comentou sobre a morte de Lázaro Barbosa, de 32 anos, apontado pela polícia como autor do crime. O comerciante Ivan Rodrigues de Amorim, de 60 anos, diz que os familiares "não estão bem", mas que a notícia trouxe "um pouco de alívio".

Lázaro é o principal suspeito de invadir uma chácara no Incra 9, em Ceilândia, e matar quatro pessoas da mesma família. O crime ocorreu em 9 de junho e, desde então, ele estava em fuga. As vítimas foram o empresário Cláudio Vidal, de 48 anos, e os dois filhos dele, Gustavo Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Vidal, de 15, encontrados mortos com marcas de tiros e facadas.

A esposa de Cláudio e mãe dos jovens, Cleonice Marques, de 43 anos, foi sequestrada pelo suspeito e encontrada morta três dias após o crime. Ivan, que é irmão de Cleonice, afirma que os familiares ainda tentam se recuperar das perdas.

Questionado sobre a morte de Lázaro, o comerciante diz que "a situação é complicada" e que "seria melhor esperar a Justiça resolver".

"Era melhor que fosse pego vivo, para pagar pelo que fez. Acionamos nosso advogado e vamos aguardar o que pode acontecer agora."

O comerciante também disse que a notícia chegou à família pelas redes sociais e que todos estão abalados.

Prisão e morte
Lázaro foi atingido por vários tiros em Águas Lindas de Goiás, na última segunda-feira (28). Após ser baleado, ele foi levado por uma viatura do Corpo de Bombeiros para o Hospital Municipal Bom Jesus. A morte foi confirmada pela Polícia Técnico-Científica de Goiás e o corpo, encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia.

A Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) informou que, ao todo, Lázaro é investigado por mais de 30 delitos. A maioria desses crimes é de latrocínio (roubo seguido de morte).

G1