Parecer vai desobrigar uso de máscara por vacinado ou quem já teve Covid, diz Bolsonaro

Parecer vai desobrigar uso de máscara por vacinado ou quem já teve Covid, diz Bolsonaro


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, nesta quinta-feira (10), que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, prepara um "parecer" para desobrigar o uso da máscara por quem já foi vacinado contra a Covid-19 ou quem já teve a doença. "Ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que já foram vacinados ou que já foram contaminados para tirar este símbolo que, obviamente, tem sua utilidade para quem está infectado", afirmou Bolsonaro em uma solenidade no Palácio do Planalto para lançamento de programas do Ministério do Turismo.

O anúncio de Bolsonaro foi realizado no dia em que o País ultrapassou 480 mil mortos na pandemia, com 2.504 óbitos registrados nas últimas 24 horas. Ao todo, já são 482.019 mortes causadas pela Covid-19 no País. O presidente seguiu dizendo que, pelo protocolo adotado no Brasil, só quem está infectado deve ficar em casa. "Se bem que para nós, o nosso protocolo para quem está infectado, este sim fica em casa. Não aquele 'fica em casa todo mundo'. A quarentena é para quem está infectado, não é para todo mundo, porque isso destrói empregos, mata de outra forma o cidadão", afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na verdade, uma pessoa pode transmitir o vírus mesmo que esteja vacinada e sem apresentar sintomas. Como ainda há pouquíssimos vacinados no Brasil e alta circulação do vírus, o risco de alguém que tomou a vacina contrair o coronavírus e transmiti-lo (mesmo sem ficar doente) para quem ainda não esteja protegido é bem grande.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, já havia se pronunciado favorável ao uso da máscara de proteção. No entanto, hoje, afirmou que vai acatar o pedido do presidente e realizar "estudo" que trate da flexibilização do equipamento. "Recebi uma solicitação para fazer um estudo acerca do uso da máscara, presidente está muito satisfeito com o ritmo da campanha no Brasil, da chegada de novas doses e da distribuição de 100 milhões de doses de vacina”, inicia. 

“O presidente acompanha o cenário e vê que, em outros países, onde a campanha já avançou, as pessoas já estão flexibilizando. Ele me pediu que fizesse um estudo para avaliar a situação aqui no Brasil e vamos atender essa demanda do presidente, que está sempre preocupado com pesquisas em relação à Covid”. diz Marcelo Queiroga.

Anúncio de Bolsonaro é alvo de críticas
A não obrigatoriedade de máscara neste momento é criticada por especialistas. A máscara evita a propagação do novo coronavírus, transmitido pelo ar. O baixo número de pessoas completamente vacinadas contra a Covid-19 no País e a alta taxa de transmissão do vírus não permitem, ainda, que a população deixe de usar máscara. Para a comunidade médica e científica, há risco de aumento no número de mortes e casos que podem ser evitados com uso de máscaras e distanciamento social – medidas básicas, fáceis de serem seguidas e largamente baseadas em estudos científicos.

Uso de máscara é obrigatório no Ceará
Desde julho de 2020, o uso de máscara é obrigatório no Ceará. Pela norma, estabelecimentos, públicos ou privados, só́ podem autorizar o ingresso ou a permanência de pessoas com máscaras de proteção. O mesmo vale para o interior de transporte publico e em áreas comuns de condomínios de residências, apartamentos, prédios comerciais e similares. O descumprimento da medida pode resultar em multa, conforme a lei nº 17.261, publicada no Diário Oficial do Estado no dia 13 de agosto de 2020.

Diário do Nordeste