‘Policiais foram para matar’, diz esposa após morte de Lázaro

‘Policiais foram para matar’, diz esposa após morte de Lázaro


A esposa e mãe da filha de Lázaro Barbosa, morto na manhã desta segunda-feira (28), afirmou em entrevista ao repórter Roberto Cabrini, da Record TV, que os policiais sempre quiseram matar seu marido.

“Os policiais sempre foram para matar, não pra prender. Se quisessem ter o Lázaro vivo, eles teriam. Nós nos disponibilizamos a ir na mata com eles, e ele se entregaria”, comentou Elen, que disse estar em choque e arrasada com a perda.

A esposa também falou que não sabia se Lázaro teria munição suficiente para trocar tiros com os agentes. “Se eles quisessem realmente prender o Lázaro, eles podiam atirar na mão ou nos pés. Mas não [fizeram]. O Lázaro está morto, mas nunca me bateu ou foi agressivo comigo ou com a filha”, disse a mulher, que também pediu explicações sobre a agressão de policiais contra ela durante as investigações.

A tia de Lázaro, Amélia, concordou que os agentes poderiam prender o homem sem matá-lo: “Atiraram nele demais, não precisava tudo aquilo. Por que não deram um tirinho ou dois na perna, pra depois investigar e interrogar? Mas foi muito cruel”.

Elen relatou à Record TV que Lázaro era um ótimo marido e pai para a filha de dois anos do casal: “era uma pessoa maravilhosa com a gente”. Com a morte do marido, ela disse que passará à filha “a imagem do pai dela que ela sempre teve: amoroso, cuidadoso e ótimo pai”.

R7