Santa Quitéria inicia vacinação de profissionais da educação na quinta-feira (03); confira tudo o que você precisa saber

Santa Quitéria inicia vacinação de profissionais da educação na quinta-feira (03); confira tudo o que você precisa saber


Santa Quitéria inicia amanhã, dia 03 de junho, a vacinação de trabalhadores da educação, de 18 a 59 anos. A imunização irá ocorrer das 08h às 13h, no ginásio poliesportivo da sede. Para receber o imunizante é necessário apresentar: RG, CPF, Comprovante de residência, Cartão do SUS, Declaração de trabalhador ativo, Declaração de imunização. A vacina aplicada será a da farmacêutica Astrazeneca. 

Em entrevista ao A Voz de Santa Quitéria, Emanuela Barbosa, Coordenadora da vigilância epidemiologica/imunização, alertou que nesta fase não serão vacinados apenas professores, mas sim, todos que fazem parte do setor de educação pública e privada do município. Entretanto, a Coordenadora também ressalta a importância de estar atento aos critérios para receber o imunizante. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com a resolução do Governo do Estado imposta aos 184 municípios do Ceará, só podem tomar a vacina quem: 
  • Estiver dentro da idade exigida, que abrange a população de 18 a 59 anos. 
  • Estiver ativo aos serviços de educação. 
  • Estiver cadastrado no Saúde Digital. 

Quem não irá receber a vacina nesta primeira fase:
  • Profissionais que estão em casa aguardando aposentadoria
  • Profissionais que estão de licença para tratamento de saúde e que não devem voltar as instituições de ensino até agosto. 

‘Santa Quitéria não queria dar um passo errado’
Ao ser questionada sobre a “demora” do município em iniciar a vacinação em um comparativo as outras cidades do Ceará, Emanuela afirmou que a Prefeitura queria primeiramente realinhar as orientações necessárias, como por exemplo a obrigatoriedade em levar a declaração de imunização. “Santa Quitéria tomou a decisão de só fazer a vacinação após a decisão para que nós não déssemos um passo errado. Todas as decisões que tomamos aqui, são baseadas nas resoluções do Estado”, esclareceu.

A exigência de um termo de compromisso ao retorno das aulas presenciais como documento obrigatório para vacinação contra Covid-19 de profissionais da educação no Ceará foi mantida após reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) na última terça-feira (1º). Emanuela ainda reforça que sem a declaração, os profissionais não serão vacinados. 

"Todo os profissionais da saúde tiveram de assinar um termo de compromisso de volta. E não tem sentido a gente vacinar um grupo que está sendo vacinado para voltar ao trabalho sem o compromisso da volta", explicou Sayonara Cidade, vice-presidente da CIB.