Vereadores desconhecem assinaturas em denúncia contra Secretaria de Saúde e Câmara de Santa Quitéria vai investigar possível falsidade ideológica

Vereadores desconhecem assinaturas em denúncia contra Secretaria de Saúde e Câmara de Santa Quitéria vai investigar possível falsidade ideológica


Um documento datado de 17 de março deste ano, quando Santa Quitéria atingia o seu momento mais crítico frente a pandemia, protocolado no Governo do Estado, repercutiu na sessão da última sexta-feira (11) na Câmara Municipal. Quase três meses depois de protocolado, os vereadores da bancada de oposição Viana, Aurismênia Chaves, Miúdo, Irmão Pereira, Gessiane Cordeiro e Jarina Cavalcante desconheceram ter assinado o dito ofício, cujo conteúdo elencava uma série de denúncias contra a Secretaria Municipal de Saúde.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Voz de Santa Quitéria teve acesso a íntegra das 11 páginas. Entre os fatos narrados pelos parlamentares, a substituição dos profissionais de saúde na troca de gestão - alegando incompetência dos atuais e que estaria gerando alto índice de mortes -, a "inépcia administrativa" do secretário Adeilton Mendonça, as prioridades no processo de vacinação e por fim, pedindo imediata intervenção na saúde pública local - que a SESA assumisse o gerenciamento e administração - ou enviasse uma equipe para auxiliar até que a situação se estabilizasse.

Confira trechos das denúncias

Em 09 de maio, entretanto, uma nova carta assinada pelos seis foi enviada a Casa Civil do Estado, pedindo o arquivamento das solicitações anteriores, considerando o prazo já decorrido e que parte das pendências já haviam sido sanadas. O mais intrigante, porém, se deu na sessão passada, quando o assunto foi cobrado na Tribuna pelos vereadores da situação e de maneira surpresa, os oposicionistas disseram categoricamente que não teriam assinado ou dado aval para as suas assinaturas ali estarem.

Deve estar acontecendo algum equivoco que tem que ser corrigido, mas a assinatura digital que a gente tem é para os nossos requerimentos, que é feito hoje de forma virtual e nós não vamos jamais prejudicar as pessoas pra ter perseguição politica. O Viana não concorda e não fará. É muito ruim você ser acusado de uma coisa que você não fez.
Viana, líder da oposição

A partir da fala de Viana e diante da negativa dos demais colegas, a Casa se viu diante de um possível crime de falsidade ideológica, sem saber quem teria protocolado ou até mesmo utilizado as assinaturas dos edis sem as devidas permissões. Eliandro Mesquita e Renato Catunda defenderam que a Câmara Municipal abra uma investigação para buscar chegar e responsabilizar quem tenha praticado o ato, inclusive sugerindo colher imagens na Casa Civil de quem teria protocolado.

O presidente Joel Barroso afirmou que vai apurar as informações para que possa adotar as medidas cabíveis. "Como externou Viana, os vereadores foram lesados, usados aí e afinal de contas, o nome que está em jogo são os dos senhores", comentou. Até o momento, não foi sinalizado se será registrada ocorrência na Delegacia de Polícia. Nos bastidores, considerando a seriedade da denúncia, há expectativa para que o caso também seja analisado e dado algum encaminhamento pelo Ministério Público.