Acusado de mentir, ex-diretor do Ministério da Saúde é preso na CPI da Covid

Acusado de mentir, ex-diretor do Ministério da Saúde é preso na CPI da Covid


Perto do fim da sessão desta quarta-feira (7/7), o presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD), deu voz de prisão a Roberto Dias, ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde. “Ele vai ser recolhido pela polícia do Senado, deixei chances para ele desde a manhã, mas ele está mentindo”, disse o parlamentar.

“Chame a polícia do Senado. O senhor está detido pela presidência da CPI”, asseverou Aziz. Advogada de Roberto Dias diz que pedido é um “absurdo” e que o depoente deu “contribuições valiosíssimas”.

Aziz argumentou que deu todas as chances possíveis para que Dias falasse a verdade. “Houve uma acusação contra ele, eu tentei várias vezes fazer com que ele falasse a verdade, e ele continuou mentindo. Nós já sabíamos desses áudios antes do depoimento dele”, afirmou. “Ele que recorra na Justiça. Ele está preso, e a sessão, encerrada”, enfatizou Aziz. “Pode levar.”

Durante o depoimento, Dias negou as acusações trazidas pelo representante da Davati Medical Supply Luiz Paulo Dominguetti Pereira à CPI da Covid. Nas palavras de Dias, “Dominguetti é um picareta”.

“Dominguetti é um picareta que tentava aplicar golpes em prefeituras e no Ministério da Saúde. Durante audiência, deu mais uma prova de sua desonestidade, não sendo merecedor de nenhum crédito nesta Casa”, afirmou a senadores.

Metrópoles