Associação de Animais Indefesos de Santa Quitéria realiza live para arrecadação de doações; conheça história do projeto

Associação de Animais Indefesos de Santa Quitéria realiza live para arrecadação de doações; conheça história do projeto


Maria do Socorro Lima deu continuidade ao projeto que perpassou gerações em sua família. A avó de Dona Socorro saia de casa todos os dias para regar as plantas ao lado do Cemitério São Benedito, ao notar que alguns animais eram deixados abandonados no local, a avó iniciou a ação que anos depois fez diferença em Santa Quitéria.  

A história que perpassou gerações ganha um novo capítulo no sábado, dia 31 de julho. A atual ONG Associação Animais Indefesos de Santa Quitéria, realizará o “Arraiá dos Amigos”, com o intuito de angariar recursos para a construção do abrigo para os animais. O evento ocorrerá na Quadra da CFR Academia, a partir das 18h, com transmissão ao vivo. 

História da ONG
O atual Presidente da Associação, Acrísio Vasconcelos, contou ao A Voz de Santa Quitéria que o movimento foi iniciado há anos atrás por meio da família de Socorrinha. 

“A Socorrinha herdou da vó, da mãe e de lá pra cá vem com esse trabalho que começou alimentando os os gatos que ficavam na dependência do Cemitério São Benedito. Esse trabalho foi começando a ser visto por outras pessoas que também gostam de animais e resolveram, a convite da Socorrinha, alimentar, cuidar e proteger esses animais. A partir dai foi ganhando nome e se desenvolvendo um trabalho mais abrangente, deixando de existir somente ali no cemitério”, inicia o presidente. 

A ação para cuidar e acolher os animais desabrigados não foi uma tarefa fácil. De acordo com Acrísio, a associação já passou por dois locais para tentar suportar a quantidade de animais que são abandonados diariamente nas ruas de Santa Quitéria. 

“Primeiramente foi doada uma casa ali no Bairro das Cinzas, mas pouco tempo depois, surgiu uma casa maior e mais ampla no bairro Piracicaba. Essa casa foi cedida e a partir dai continuou sendo feito esse cuidado”, afirma Acrísio. 

“Mas nós tínhamos um sonho na busca de um espaço maior e para isso precisaria de um terreno onde pudesse ser construído o abrigo dos animais indefesos de Santa Quitéria. A situação chegou ao conhecimento do Senhor  Aníbal Construções – empresário e empreendedor do município -, ele se sensibilizou com a causa e veio a fazer a doação do terreno. A doação desse terreno nos possibilitou sonhar mais”, finaliza o presidente. 

O abrigo que será construído próximo do loteamento na saída para Catunda é considerado “a realização de um sonho de cada voluntario”, de acordo com Acrísio. 

Voluntários
A ONG que atualmente conta com mais de 100 animais, recebe ajuda voluntariamente de quiterienses engajados com a causa. Além do espaço atual, os trabalhadores também levam animais para suas casas, já que o espaço atualmente, ainda é pequeno. 

“Quando eu entrei na causa a dois anos atrás, eu fiquei como voluntario. Apenas no final do ano passado, houve a necessidade da reativação da nova diretoria da associação e eu fiquei como presidente. Estou me colocando na luta, me disponibilizando para servir esses animais, não medidos esforços, é um trabalho totalmente voluntario e por amor. Esse abrigo é a construção desse sonho, que iniciou lá no cemitério e vem de lá para cá, sempre tendo esse objetivo da construção desse abrigo. É um sonho. Desde o membro que entrou no primeiro momento, até aqueles que entraram por último”, reafirma. 

Lei contra maus tratos de animais 
O artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/1998) considera crime “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”. Houve alteração recente na Lei 9.605/1998, entrando em vigor, a partir de setembro do ano passado, o aumento na punição para quem maltrata cães e gatos. A pena para quem for condenado será de reclusão de dois a cinco anos, além de pagamento de multa e proibição da guarda.

“O abandono é crime, os maus tratos são crimes e nós estamos aqui para observar essas coisas, quem abandona, quem maltrata... Nós não podemos permitir que as pessoas continuem fazendo esses crimes. Nós como protetor de animais estamos aqui para isso, para defende-los. Esses animais não estão desprotegidos, eles têm alguém que olham por eles”, finalizou o presidente.