Jornalista investigativo morre depois de tomar cinco tiros

Jornalista investigativo morre depois de tomar cinco tiros


Peter R. de Vries, um repórter da Holanda, morreu depois de ter sido baleado na semana passada, de acordo com relatos desta quinta-feira (15). Ele foi baleado em uma rua central de Amsterdã, depois de sair de um estúdio de TV, onde tinha participado de um programa de debates. Ele tomou cinco tiros, disparados de uma distância curta. Uma das balas atingiu o jornalista na cabeça. Três homens foram presos inicialmente, mas depois a polícia os soltou porque nenhum deles era suspeito.

No passado, ele já recebeu escolta policial por estar recebendo ameaças. Em 2019, ele disse que estava em uma lista de mais procurados de criminosos da Holanda (uma informação que teria sido passada a ele por policiais).

Antes da morte ter sido confirmada, a prefeita de Amsterdã, Femke Halsema, elogiou o jornalista: "Ele é um herói nacional para todos nós. Um jornalista raro e corajoso que buscou justiça sem descanso", disse.

O primeiro-ministro Mark Rutte anunciou que vai a Haia se encontrar com outras autoridades de segurança da Holanda. Parlamentares holandeses demonstraram nas redes sociais incredulidade com o crime e pediram investigação.

Prêmios e polêmicas
De Vries era o vencedor de um prêmio Emmy de 2008 por suas reportagens na qual ele investigava o desaparecimento de uma adolescente, Natalee Holloway, em Aruba, em 2005.

Ele começou a carreira no “De Telegraaf”. Uma de suas primeiras coberturas foi o sequestro de Freddy Heineken, da marca de cerveja. De Vries acabou ficando amigo de um dos criminosos, depois esse cumpriu a pena.

G1 - CE