Menina morre após ser atingida por tiros no colo do padrasto em terminal de ônibus

Menina morre após ser atingida por tiros no colo do padrasto em terminal de ônibus


Uma menina de 2 anos morreu após ser baleada em um terminal de ônibus, na noite da última quarta-feira (07), na Cidade Universitária, na Zona Oeste do Recife. Ela estava no colo do padrasto e acompanhada pela mãe quando um homem armado chegou no local e atirou, segundo a Polícia Civil. O padrasto ficou ferido. 

Segundo o Hospital da Restauração, no bairro do Derby, para onde o padrasto encaminhado, ele foi baleado no braço, na mão e no abdômen. De acordo com a polícia, a criança foi atingida na cabeça e no abdômen. Identificada como Lorena Letícia dos Santos, a menina foi socorrida, mas não resistiu.

Duas versões do que teria ocorrido são investigadas. O padrasto da criança, Jefferson Tavares, de 34 anos, contou aos policiais que estava sentado em um banco no terminal, com a enteada no colo, quando um homem chegou e anunciou o assalto. Ele teria saído correndo com a menina no colo quando o criminoso atirou contra os dois.

A mãe de Lorena, Sonora Letícia dos Santos, afirmou que o padrasto ainda tentou soltar a menina, mas ela se agarrou ao pescoço dele. Ainda de acordo com ela, Jefferson tinha um carinho muito grande pela enteada, que o chamava de pai.

A outra versão investigada pelos policiais, segundo apurou a TV Globo, é de que o crime teria a ver com um acerto de contas entre o criminoso e o padrasto da menina. Segundo peritos relataram, o ataque teria sido de frente, o que contraria a versão de que ele correu com a menina.

O caso aconteceu por volta das 21h. Segundo relatos, o padrasto fugiu para dentro da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Em nota, a UFPE informou que o padrasto, já ferido, entrou por uma portaria próxima ao Centro de Tecnologia e Geociências (CTG),

"Quando os seguranças da Universidade chegaram ao local, o rapaz ferido estava caído no chão. A polícia foi chamada e socorreu o jovem para UPA da Caxangá", disse a universidade.

Lorena foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Caxangá e faleceu no local, segundo a polícia. O padrasto também foi levado para a mesma unidade de saúde e depois foi transferido para o Hospital da Restauração.

De acordo com o hospital, por volta das 9h desta quinta-feira (8), ele já estava de alta, pois os tiros foram transfixantes, o que significa que eles passaram de um lado ao outro no corpo da vítima. O hospital informou que ele recebeu suturas.

A polícia informou que um inquérito foi aberto no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste, e que o crime foi registrado como homicídio e tentativa de homicídio.

G1