Mulher é levada à força para a delegacia após reclamar de restaurante

Mulher é levada à força para a delegacia após reclamar de restaurante


Após reclamar de um pedido de almoço feito em um aplicativo de delivery, uma profissional de saúde do hospital modular de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, foi arrastada à força por um policial até a delegacia.

A mulher, que preferiu não se identificar, afirmou ao G1 que o pedido chegou com atraso, sem os talheres e que a carne não estava gostosa. Ela, então, questionou o restaurante Baroni Gastronomia, que cancelou o pedido e mandou um motoboy para levar os talheres e cobrar o serviço.

Segundo ela, ao dizer que não pagaria pelo pedido, já que o restaurante havia cancelado o serviço, o motoboy chamou a polícia para o local. Ao chegar, o policial militar levou a profissional aos gritos para dentro de uma viatura.

“Ele já chegou me acusando, não me deu o benefício da dúvida. Ou seja, ele não tinha um mandado, não tinha um flagrante, não tinha prova, então ele não tinha nada. Eu não me neguei em nenhum momento a prestar depoimento. Eu estava no meu plantão, eu não poderia abandonar o meu setor, que isso a gente aprende no código de ética”, disse a mulher.

Depois de relatar agressões por parte do agente, ela fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e precisou de ajuda ortopédica. A mulher relata que levou uma chave de braço e foi arrastada pelos corredores do hospital, além de levar dois socos nas costas e um chute na perna. A Polícia Militar vai instaurar um procedimento apuratório para o caso. O entregador, segundo o G1, disse que a mulher estava exaltada e que foi humilhado.

G1