Pesquisa AVSQ: Com escassez de vagas, mulheres são as que enfrentam mais dificuldades por emprego em Santa Quitéria

Pesquisa AVSQ: Com escassez de vagas, mulheres são as que enfrentam mais dificuldades por emprego em Santa Quitéria


A taxa de desocupação no primeiro trimestre de 2021 foi recorde no Ceará, atingindo 15,1%. É o maior índice desde 2012, quando foi iniciada a série histórica. O dado foi divulgado ainda em maio pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Conforme o órgão, o resultado decorre "dos efeitos da pandemia de Covid-19 sobre o mercado de trabalho".

Em pesquisa realizada pelo A Voz de Santa Quitéria, o gênero mais afetado com o desemprego na cidade, é o feminino, com 60,5% de mulheres desempregas ao lado de 39,5% de homens. Os dados que foram colhidos ao final de junho contou com um total de 76 pessoas entrevistadas. 

A faixa etária mais afetada com a falta de trabalho engloba as idades de 25 a 29 anos com 35,5%, seguidas pelas idades de 18 a 24 anos (28,9%), 30 a 34 anos (22,4%), finalizando com as pessoas de 35 a 39 anos (13,2%). No Ceará, a população em idade de trabalhar foi estimada em 7,6 milhões de pessoas. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, observa-se um aumento em 175 mil pessoas. 

Regime de Trabalho 
Ainda em âmbito estadual, a taxa de informalidade foi de 53,8% no trimestre encerrado em março deste ano, o que equivale a 1,6 milhão de pessoas sem carteira assinada (empregados do setor privado ou trabalhadores domésticos), sem CNPJ (empregadores ou empregados por conta própria) ou trabalhadores sem remuneração. No trimestre anterior, esse percentual foi 52,94%.

Em Santa Quitéria, 40,8% pessoas trabalham com carteira branca e apenas 26,5% possuem carteira assinada. Além disso, os quiterienses resolveram durante a pandemia investir em negócios próprios, totalizando 32,7% com MEI. 

Maior dificuldade para encontrar emprego
Os moradores de Santa Quitéria que responderam ao questionário afirmaram que atualmente a maior dificuldade em encontrar emprego é a própria crise econômica e sanitária que surgiu junto com a pandemia (56,6%). Além da pandemia, o top 4 do ranking de dificuldades que os moradores do município alegam, é caracterizado por escassez de vagas (51,3%), cursos de qualificação (34,2%) e por fim, os quiterienses afirmam que “não sabem onde procurar” (5,3%).

Prós e Contras
Em Santa Quitéria, apesar de ter enfrentado um período duro e crucial, a economia do município iniciou o segundo semestre de 2021 com perspectivas otimistas. A geração de vagas foi puxada pela indústria, que alcançou saldo de 33 oportunidades. Em seguida, aparecem o comércio (27) e o setor de serviços (21). A construção, porém, desligou 34 funcionários e contratou 10, gerando uma perda de 24 postos de trabalho formais. A indústria foi quem mais demitiu no município ao longo deste período: 72. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) indicam que nos primeiros cinco meses deste ano, 58 novos postos de trabalho foram abertos no município.