Polícia não descarta investigar Prefeitura de Santa Quitéria; TopLoc movimentou quase R$ 8 milhões em quatro anos

Polícia não descarta investigar Prefeitura de Santa Quitéria; TopLoc movimentou quase R$ 8 milhões em quatro anos


A Polícia Civil do Ceará convocou nesta quarta-feira (07), uma coletiva de imprensa para revelar mais detalhes da Operação Hasta, deflagrada ontem em Itatira e mais quatro cidades. A quadrilha comandada por pessoas de mesma família suspeita de usar laranjas para fraudar licitações milionárias, movimentou cerca de R$ 132 milhões nos últimos oito anos.

Pelo menos dez empresas estão envolvidas no esquema de corrupção, entre elas a Toploc Locações e Serviços Eireli, que prestou serviço em Santa Quitéria durante toda a administração do ex-prefeito Tomás Figueiredo (MDB). De 2017 a 2020, a TopLoc faturou no município R$ 7.974.517,73, para fazer o transporte escolar dos alunos da rede municipal.

Dentre 18 prefeituras que contrataram a Toploc nos últimos quatro anos, Santa Quitéria foi a 2ª que mais fez pagamentos à empresa, com exceção apenas de Caucaia - que foi de R$ 18,2 milhões.

Os municípios nos quais as licitações eram fraudadas não foram divulgados pela Polícia, mas podem vir a ser investigados com o decorrer dos trabalhos. A força-tarefa pretende averiguar também o possível envolvimento de agentes públicos no esquema.

Como funcionava o esquema
Segundo a Polícia, os titulares das empresas investigadas estavam nessa condição apenas de maneira jurídica, ou seja, eram "laranjas". Na verdade, outras pessoas, também identificadas no curso da investigação, administravam essas empresas.

Essas empresas contratavam com administrações públicas municipais valores milionários, mas a maioria delas não possuía condições técnicas de prestar esses serviços contratados. O principal portfólio delas era a locação de veículos.

Contudo, as empresas contratavam também com outros serviços, incluindo obras em geral. A atuação das empresas se dava a partir das demandas, fraudando processos administrativos de contratações na forma de licitação e na prestação dos serviços contratados.

Com base nos elementos apurados, foi fundamentada uma representação junto ao Poder Judiciário envolvendo as empresas e as pessoas identificadas durante a investigação, como sendo os mentores de todo esse processo criminoso.