Associação dos professores do Ceará entrega documento a ministro com melhorias para a categoria

Associação dos professores do Ceará entrega documento a ministro com melhorias para a categoria


A Associação dos Professores de Educação Profissional da Rede Estadual do Ceará – APROTECE entregou na última quinta-feira (05), durante encontro no Auditório do IFCE/Pecém, um documento escrito em conjunto por diversos atores da sociedade educacional ao Ministro da Educação SR. Milton Ribeiro em que expressa as preocupações sobre a educação profissional cearense. No registro, são apresentadas inúmeras propostas de melhorias que englobam desenvolvimento econômico e social, infraestrutura e financiamento. O encontro teve a articulação do Deputado Federal Danilo Forte (PSB), com o apoio da Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Amarante e parceria com o IFCE.

As pautas apresentadas no registro foram discutidas dia 24 de julho, durante o I Seminário de Educação Profissional de Itapajé e região. O evento nasceu do anseio em documentar propostas dos diferentes atores da sociedade, como políticos, gestores, secretários de educação, pais e alunos, além dos professores. As asserções e sugestões foram construídas a partir de temáticas colocadas em debates.

O Seminário, que ocorreu de forma híbrida, simboliza as primeiras mudanças para a categoria e reforça, além de tudo, o desejo de se obter uma parceria sólida de gestores e profissionais da educação.

CONFIRA AS PROPOSTAS APRESENTADAS:
• Desenvolvimento econômico e social 
1. Estudos de demanda da empregabilidade por regiões, envolvendo os principais agentes: Comércio, serviços e Indústria.
2. Oferta de cursos específicos para a sociedade que estejam de acordo com as demandas do mercado de trabalho, unindo a escola com a comunidade, ampliando seus horizontes.
3. Integrar a comunidade com a escola, de forma que a mesma participe das decisões escolares e escolham conforme estudos de demandas os cursos que fortalecerão o desenvolvimento econômico e social.
4. Incentivar a oferta de educação profissional para outros públicos, através de planejamento de projetos educacionais a nível municipal e estadual.
5. Realização de eventos, seminários, para estreitar a relação entre gestores municipais, escolas, empresas e estado.
6. Incentivo do Estado para absorção da mão de obra capacitada pelas escolas no mercado de trabalho.

• Infraestrutura 
1. Acessibilidade para todas as necessidades especiais;
2. Aproveitamento dos espaços das atuais escolas de Educação Profissional do estado padrão MEC para ofertar cursos de curta e longa duração também para a comunidade aproveitando como exemplo os horários ociosos como contra turno.
3. Disponibilização de profissionais capacitados em áreas específicas, como psicólogos, professores de libras, braile.
4. Investimento em softwares que viabilizem a aplicação prática dos cursos de Educação Profissional para os alunos.

• Financiamento 
1. Vinculação, através de projeto de Lei, de parte dos recursos do FUNDEB repassados a estados e municípios, para o investimento em Educação Profissional e seu financiamento.
2. Criação de um Fundo de Educação Profissional para garantir os recursos para financiar a infraestrutura e mão de obra.
3. Realização de Parcerias entre o poder público, escolas e empresários das regiões para juntos, investir na capacitação de mão de obra através dos cursos de Educação profissional, além de ofertar serviços especializados para as empresas.
4. Realizar gestão participativa dos recursos financeiros, envolvendo toda a sociedade, através de representações, para decidir a melhor forma de aplicar os recursos financeiros.

A Associação dos Professores de Educação Profissional da Rede Estadual do Ceará – APROTECE foi criada em agosto de 2020, visando atuar como representação na defesa dos interesses de seus associados, lutar pela valorização profissional e defender uma educação profissional pública cearense de qualidade, inclusiva e pautada no diálogo.

Aprotece