Ceará não atinge nenhuma meta do calendário nacional em 2020 da vacinação infantil

Ceará não atinge nenhuma meta do calendário nacional em 2020 da vacinação infantil


Com metas mínimas de 90% a 95%, o Ceará não atingiu nenhuma das metas do Calendário Nacional de Vacinação da Criança, segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). As quedas já aconteciam em anos anteriores, como em 2019, quando cinco das nove vacinas disponíveis gratuitamente para o público alvo não atingiram os números mínimos de Cobertura Vacinal (CV). 

A cobertura vacinal é um indicador de aplicações de uma determinada vacina na população. No caso, quanto maior o índice de cobertura, mais as pessoas estarão protegidas coletivamente e, assim, erradicarão doenças - como o caso da poliomielite, erradicada em Fortaleza desde 1994, segundo a coordenadora de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Vanessa Soldateli.                                                                                                                            No ano passado, a vacina BGC teve cobertura de apenas 63,47% no Estado - a menor cobertura das nove vacinas previstas no calendário no ano analisado. Preventiva contra formas graves de tuberculose e conhecida tradicionalmente pela cicatriz no braço, a cobertura mínima pelo Ministério da Saúde (MS) para esta vacina é de 90%. Entre o intervalo de 2018 à 2020, a meta de imunização foi ultrapassada apenas em 2018, com 104,89% de cobertura no Ceará. Em 2019, o número já se apresentava abaixo da meta, com 86,05%.


OPOVO