Cid defende candidatura de Roberto Cláudio ao Governo do Estado em 2022

Cid defende candidatura de Roberto Cláudio ao Governo do Estado em 2022


O senador Cid Gomes (PDT) defendeu o nome do ex-prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio (PDT) para disputar a sucessão de Camilo Santana (PT) no Governo do Ceará, em 2022. Ao analisar possíveis nomes do seu grupo político para concorrer ao Palácio da Abolição, o senador pontuou que “o melhor nome do PDT nesse momento, o mais popular, o que aparece com mais chances nas pesquisas eleitorais, é o do ex-prefeito de Fortaleza”.

A indicação, todavia, passa pela discussão sobre a aliança PT e PDT no Ceará e o potencial palanque para os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT). De acordo com o senador, essa é a questão mais importante a ser decidida atualmente. Ele afirma que, uma vez discutida a manutenção ou não da aliança entre os dois partidos a nível estadual, a tendência é que o candidato a governador do Estado seja do PDT.

Sobre o futuro do governador Camilo Santana, Cid afirmou se tratar de "um candidato natural ao Senado" e garantiu o apoio. Na contramão do ex-presidente Lula, que durante evento no Porto do Pecém no último sábado, 21, adiantou a estratégia ao afirmar que Camilo está "com cara de senador", mas não sabia se era essa a sua vontade, Cid confirmou a pretensão do governador de concorrer ao cargo. "Ele pensa objetivamente em disputar esse mandato de senador", disse. 

As declarações de Cid foram dada em entrevista nesta segunda-feira, 23, ao programa à Rádio FM Assembleia, pouco antes do encontro dele com Lula. Na entrevista, o senador falou ainda sobre a conjuntura política nacional em relação às eleições de 2022 e o desempenho de Ciro Gomes nas pesquisas de intenção de voto.

Para ele, a depender dos indicadores de pesquisa nas vésperas da eleição, as chances de Ciro se tornar presidente são reais. “Se em junho ou julho de 2022 estiver Lula com 35%, Bolsonaro com 18% e Ciro com 14%, escreva: o Ciro será o presidente da República", avaliou. No seu entendimento, nessa hora, as pessoas vão começar a votar por opção, e não por negação, o que viraria a situação a favor do ex-ministro. “Ciro passará o Bolsonaro, disputará com o Lula (no 2º turno), que tem mais rejeição do que ele, e será eleito”, projetou.

Outrora aliados, Ciro e Lula travam um embate público. De olho nas eleições do ano que vem, o pedetista iniciou ofensiva contra Lula nos últimos tempos e não poupa críticas ao petista durante entrevistas. Em passagem pelo Ceará, o ex-presidente age para articular apoios no reduto eleitoral do clã Ferreira Gomes. No começo da tarde de hoje, o petista esteve em encontro com Cid Gomes, no Palácio da Abolição. A agenda acontece em meio às tensões entre ele e o ex-ministro.

O Povo Online