Delta: Ceará tem primeiro caso de transmissão comunitária da variante; orientação é evitar viagens

Delta: Ceará tem primeiro caso de transmissão comunitária da variante; orientação é evitar viagens


O Ceará tem o primeiro caso de transmissão comunitária da variante Delta do Covid-19 confirmado. A Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) informou que a cepa foi identificada em um profissional de saúde do município de Icó, distante 361,3 km de Fortaleza. A orientação do Governo do Estado é que viagens entre as cidades cearenses ocorram apenas em casos estritamente necessários. Caso também acende alerta para reforço de cuidados sanitários, como uso de máscara e álcool 70%.

Com esse caso, Estado soma 16 diagnósticos positivos da variante Delta, mais transmissível. De acordo com a Sesa, o resultado do sequenciamento genômico da amostra de RT-PCR do paciente saiu na última segunda-feira, 9, quando começou o monitoramento do caso. A pasta também investiga as circunstâncias da infecção. O profissional de saúde afirma que não viajou para fora do Estado e nem teve contatos com viajantes recentemente.

Para conter a alta transmissão da variante, a Sesa reforça e incentiva os municípios a intensificar as barreiras sanitárias. Atualmente, o Centro de Testagem de Viajantes, instalado no Aeroporto Internacional de Fortaleza – Pinto Martins, testa 20% dos passageiros que desembarcam no local. Também estão funcionando centros de testagem no aeroporto de Aracati e na rodoviária de Barbalha.

Além do primeiro caso de transmissão comunitária, outros 15 casos importados já foram identificados (por viajantes de outros estados brasileiros). Esses casos estão espalhados em 11 municípios de quatro das cinco regiões de saúde do Estado. 

Os pacientes positivados no teste rápido, feito ainda no aeroporto, são imediatamente orientados a cumprir autoisolamento de 14 dias. As amostras positivas no antígeno e no RT-PCR são encaminhadas para sequenciamento genômico, capaz de identificar alguma variação do vírus original. Também é recomendada a autoquarentena de duas semanas para passageiros e tripulantes dos voos com pessoas positivadas no desembarque, mesmo que estejam assintomáticas ou apresentem testes negativos.

O POVO