Educação de Santa Quitéria receberá investimentos para recuperar aprendizagem prejudicada pela pandemia

Educação de Santa Quitéria receberá investimentos para recuperar aprendizagem prejudicada pela pandemia


O Governo do Estado lançou na semana passada, o Pacto pela Aprendizagem, um pacote de investimentos orçado em R$ 130 milhões para minimizar os prejuízos educacionais causados pela pandemia aos alunos de Santa Quitéria e dos outros 183 municípios cearenses.

O prefeito Braguinha e a secretária de Educação Kaká Mourão participaram da solenidade na sede da Crede 07, em Canindé, onde assinaram um termo de compromisso junto do coordenador Paulo Alexandre Queiroz. A rede municipal de ensino quiteriense receberá equipamentos de gravação para todas as suas escolas, apoio pedagógico, bolsas de formação, material e além disso, o valor de R$ 400 mil para melhorias e o valor pode ser estendido diante de indicadores de aprendizagem e vulnerabilidade social dos alunos.

As prefeituras poderão usar o valor destinado como investimento no Mais Tempo Juntos, programa de implementação do tempo integral e apoio às atividades extracurriculares. A reforma das unidades escolares e a aquisição de veículos de transporte para os alunos também estão previstas.


O Pacto pela Aprendizagem deve ser executado em 2021 e 2022 e, além do avanço na aprendizagem, busca melhorar a frequência dos alunos e diminuir o abandono escolar. "Esse pacto tem o objetivo de recuperar para que a gente possa retomar o nível de crescimento e aprendizagem com qualidade para nossas crianças e jovens", destacou o governador Camilo Santana. 

Dificuldades
Com a pandemia, os problemas que já existiam se agravaram: dificuldades na alfabetização na idade certa e a evasão escolar. Uma pesquisa encomendada pela Fundação Lemann, o Itaú Social e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) ao Datafolha, feita junto aos pais e responsáveis, aponta que 88% dos estudantes matriculados no 1º, 2º e 3º ano do ensino fundamental estão em processo de alfabetização. Desse total, mais da metade (51%) das crianças ficou no mesmo estágio de aprendizado, e 22% desaprenderam o que já sabiam.