Menino morto pela mãe era obrigado a escrever frases ofensivas em caderno, diz polícia

Menino morto pela mãe era obrigado a escrever frases ofensivas em caderno, diz polícia


A Polícia Civil apreendeu, na noite de terça-feira (3), um caderno com frases ofensivas, que segundo a investigação eram copiadas por Miguel dos Santos Rodrigues, de 7 anos. A mãe da criança, Yasmin Rodrigues, de 26 anos, está presa após confessar ter matado a criança.

Segundo o delegado Antonio Carlos Ractz, Miguel era obrigado a copiar frases como "eu sou um idiota", "não mereço a mamãe que eu tenho", "eu sou ladrão, "eu sou ruim" e "eu sou um filho horrível".

O objeto foi apreendido em um dos apartamentos onde Miguel morou com a mãe, no Balneário de Santa Terezinha e outro no centro de Imbé. Além do caderno, a polícia também localizou uma corrente, que seria utilizada para manter a criança presa.

Conversas divulgadas pela polícia mostram a mãe e a madrasta de Miguel, Bruna Nathieli Porto da Rosa, conversando sobre a compra da corrente. Bruna também está presa. Ela e Yasmin foram transferidas do Presídio de Torres para a Penitenciária Feminina de Guaíba, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

G1